Sem categoria

‘Dança das cadeiras’  começa no Legislativo de Parintins

A chamada janela partidária provocou mudança nas cadeiras dos partidos - foto: divulgação

A chamada janela partidária provocou mudança nas cadeiras dos partidos – foto: divulgação

Criada a partir da emenda constitucional 91/2016, a chamada janela partidária provocou mudança nas cadeiras dos partidos na Câmara Municipal de Parintins (369 quilômetros de Manaus).

O PSD e o PSDB foram os mais atingidos. O primeiro vereador a trocar de partido foi Mateus Assayag, pré-candidato a prefeito de Parintins, que deixou o PSDB, controlado no município pelo deputado estadual Frank Bi Garcia, e ingressou no Partido Republicado (PR), do deputado federal Alfredo Nascimento.

A saída de Mateus do PSDB já era esperada depois que o parlamentar não seguiu a orientação do partido político, em 2014, de apoiar o governador José Melo (Pros).

Na época, Mateus Assayag apoiou a então candidatura do ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga (PMDB).

“O PR a nosso ver preenche todos os requisitos para que possamos submeter o nosso nome à aprovação do partido na disputa pela prefeitura de Parintins”, disse Assayag.

Depois de Mateus, foi a vez de Rildo Maia deixar o PSD, que no município tem o comando do prefeito Alexandre da Carbrás, e assinar a ficha de filiação no PMDB do ministro Eduardo Braga.

Rildo foi outro político de Parintins que contrariou o seu partido na eleição para o governo apoiando o adversário do governador eleito.

“Minha decisão de ir para o PMDB já estava tomada muito antes da eleição, agradeço o apoio que recebi no PSD do senador Omar Aziz”, afirmou.

Rildo Maia se elegeu vereador, em 2012, com apoio do atual prefeito de Parintins, Alexandre da Carbrás.

Na eleição em 2014, Maia manifestou o desejo de disputar uma das vagas na Assembleia Legislativo do Estado do Amazonas (Aleam), mas teria sido preterido no grupo de Carbrás. O fato originou o distanciamento de ambos e, consequentemente, a saída  do parlamentar do PSD.

A última a migrar de partido foi a vereadora Karine Brito, que também se elegeu em 2012 pelo PSD. Ele trocou o partido pelo PHS. Ex-secretária municipal da Mulher, Karine Brito deixou o PSD, depois de uma conversa com o senador Omar Aziz, em Manaus.

Ele não escondeu o descontentamento com antigo aliado, Alexandre da Carbrás, que não teria lhe dado condições para permanecer à frente da secretaria. Karine se filiou a um partido que hoje integra o arco de aliança PSDB no município.

Com as alterações partidárias dos vereadores Mateus Assayag, Rildo Maia e Karine Brito, a oposição cresceu na Câmara Municipal de Parintins. Atualmente, a oposição é composta pelo PMDB, PSDB e PR e a base aliada ao prefeito Alexandre da Carbrás é formada pelos parlamentares do Pros e PSD.

Por Tadeu de Souza

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir