Política

CUT e movimentos sociais protestam contra a terceirização

O ato da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em comemoração pelo Dia do Trabalho, em São Paulo, começou com uma passeata no centro da cidade. Sindicalistas e militantes de movimentos sociais se concentraram em três pontos e saíram em caminhada em direção ao Vale do Anhangabaú. No local foi montado o palco onde ocorrerão o show musical e os discursos de políticos e lideranças sindicais.

O Projeto de Lei (PL) 4330 de 2004, que regulamenta a terceirização, inclusive da atividade-fim das empresas, é o principal alvo dos protestos. “É acabar com a CLT [Consolidação das Leis do Trabalho]. Acabar com as férias e a carteira assinada”, disse o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas, ao criticar a proposta. O projeto está em tramitação no Congresso Nacional.

Segundo o sindicalista, caso a proposta, que já foi aprovada pela Câmara dos Deputados, passe também pelo Senado, as centrais sindicais e movimentos sociais vão se mobilizar para pressionar a presidenta Dilma Rousseff a vetar o projeto. “Nós vamos organizar uma greve geral pelo veto”, ressaltou Freitas sobre os próximos passos se o PL continuar a avançar.

Participam do evento unificado o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), a Coordenação Nacional de Entidades Negras, a Marcha Mundial de Mulheres, o Movimento dos Atingidos Por Barragens e o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), além da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

 

Por Abr

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir