Sem categoria

Curumim é Patrimônio Cultural e Imaterial do Amazonas

O Curumim circula encartado como suplemento infantil nos jornais de Manaus há 33 anos - foto: Márcio Melo

O Curumim circula encartado como suplemento infantil nos jornais de Manaus há 33 anos – foto: Márcio Melo

Com um discurso emocionante, o jornalista e diretor de redação do EM TEMPO, Mário Adolfo, recebeu nesta terça-feira (12), na Assembleia Legislativa do Estado, a placa que torna o personagem ‘Curumim, o último herói da Amazônia’, em Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial do Amazonas. O projeto de Lei 283/2015 é de autoria do deputado Dermilson Chagas (PEN).

Mário disse que desde criança é apaixonado por gibis e, inclusive, guarda até hoje a coleção de histórias em quadrinhos do seu personagem favorito da época, o ‘Fantasma’, de Lee Falk, que lutava para preservar o meio ambiente. Ele também revelou que a inspiração do Curumim veio mesmo do Jornal Porantim – em defesa da causa indígenas –, do qual era colaborador, levado pelas mãos  de seu professor Ribamar Bessa, no curso de Comunicação da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

“Estou realizando um velho sonho meu de ocupar uma tribuna, não como político, mas como desenhista e cartunista, que é o que eu também sou. Essa homenagem chegou no momento certo,  estou muito feliz com esse reconhecimento. É importante destacar que a   trajetória do Curumim sempre foi voltada para preservação do meio ambiente. Desde o início do projeto, quando ainda não havia linguagem ecológica e nem se ouvia falar em sustentabilidade, já defendíamos a floresta, os bichos, ops rios, o ar…   Hoje, mais do que nunca, a pauta do dia é a defesa da Amazônia.  Essa homenagem vem coroar o nosso trabalho e criar uma conscientização ecológica em nossas crianças –, disse Mário Adolfo.

O Curumim circula encartado como suplemento infantil nos jornais de Manaus há 33 anos. Foi lançado em A Crítica, depois que, em 1983,  o empresário Umberto Calderaro desafiou o jovem estudante de jornalismo a formatar um suplemento para suprir uma lacuna no jornalismo amazonense: um jornal voltado para a criança.  Mário criou o jornal com personagem próprio; um  indiozinho  símbolo da preservação e conscientização ambiental desde 1983 e, atualmente, a marca está sendo implantada na confecção de camisetas com todos os personagens da turma –,  o indiozinho Curumim; a tartaruguinha Sara Patel; o Jacaré Tinga; o papagaio Lourival; a namoradinha do Curumim; a indiazinha Murupi e o invasor da florestar, Mister Okey – e pretende expandir para outros produtos.

O escritor também destacou o apoio do engenheiro ambiental Sérgio Figueiredo, e do ex-governador Amazonino Mendes (PDT) ao personagem infantil. “Sérgio tentou  montar uma empresa ‘Mário Adolfo Produções’ e foi um dos responsáveis por me orientar nas causas ambientais do projeto ‘O Curumim’, que virou cartilha educativa sobre a história do Amazonas, lançada na Suécia, em 1988”, contou.

Dermilson Chagas, autor do projeto, destacou a importância do personagem para o Estado. “O Curumim transmite a sensibilidade do que representa a preservação da floresta para o Amazonas. Ele pede a preservação da fauna e da flora. Com uma linguagem fácil, o Curumim traz a mensagem correta ao público infantil, da faixa de 5 a 10 anos. É preciso guardar na memória as mensagens boas para que no futuro tenhamos bom senso para a preservação ambiental e é na escola que aprendemos tudo isso”, destacou o parlamentar.

O deputado Serafim Corrêa (PSB), amigo pessoal de Mário, comparou o Curumim a um “gol de placa”. “Mário sempre foi uma pessoa jeitosa e habilidosa e briguenta (risos). Já na década de 1980, quando temas de meio ambiente ainda não eram muito compreendidos, ele já defendia a causa. Hoje, há mais de 30 anos, a questão ecológica domina o debate do mundo. Antes meus filhos, hoje meus netos leem o Curumim comigo”, lembrou Serafim.

“O Curumim tem muito do povo amazonense e precisa ser explorado nas escolas do nosso Estado, torço muito por isso. Na oportunidade, gostaria de agradecer pela presteza, profissionalismo e contribuição como jornalista  em nossa cidade. Um exemplo a ser seguido”, parabenizou a presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam), desembargadora Graça Figueiredo, que também acompanhou de perto a trajetória do indiozinho.

O projeto foi aprovado por unanimidade pela Assembleia e a solenidade contou com a presença de doze deputados estaduais – Dermilson Chagas (PEN); Serafim Corrêa (PSB),  Alessandra Campelo; Wanderley Dallas, Vicente Lopes, ambos PMDB; José Ricardo (PT); Sabá Reis (PR); Luiz Castro(Rede); Bi Garcia (PSDB); Abdala Fraxe (PTN); Belarmino Lins (Pros), David Almeida (PSD) – que prestaram suas homenagens ao ‘Curumim Pai’.

 

O Curumim

Em sua longa trajetória, o indiozinho leva informação, cultura e divertimento à geração de crianças em todo o estado. O Curumim virou cartilha educativa sobre a história do Amazonas, lançada na Suécia, em 1988; teve quadrinhos publicados na coletânea ‘Curumim, o último Herói da Amazônia’, lançado na feira do Serviço Social do Comércio (Sesc), em 1993; contou a história em quadrinhos no livro A.E.I. Ópera, lançado pela Secretaria de Cultura (SEC), na Bienal  Internacional do Livro, no Rio de Janeiro, em 2000; foi o mote da campanha de conscientização do Festival de Parintins – Curumim Contrário ao Lixo, em 2013; através de quadrinhos,  foi lançada a história do livro na I Bienal do Livro do Amazonas  – Curumim conta História do Livro, em 2012; o indiozinho também foi tema da  30ª edição da Feira de Livro, do Sesc, em 2015.

Por Luana Dávila

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir