Política

Cunha desiste de recurso no STF contra ação de improbidade

Na época em que apresentou o recurso, Cunha argumentava que deveria ser julgado pelo STF - foto: divulgação

Na época em que apresentou o recurso, Cunha argumentava que deveria ser julgado pelo STF – foto: divulgação

O deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) desistiu de recurso em que pedia ao STF (Supremo Tribunal Federal) para que fosse suspenso processo de improbidade administrativa apresentado contra ele pelo MPF (Ministério Público Federal) à 6ª Vara Federal em Curitiba. O documento com a desistência foi protocolado nesta segunda (18) no STF pela defesa de Cunha. As informações são da Agência Brasil.

Na época em que apresentou o recurso, Cunha argumentava que deveria ser julgado pelo STF por ser presidente da Câmara dos Deputados.

No documento, os advogados de Cunha pedem que seja homologada a desistência da ação “tendo em vista que o ora reclamante [Cunha] renunciou à Presidência da Câmara dos Deputados”, o que para os advogados, levou à perda do objeto da ação. Cunha renunciou ao cargo no dia 7 de julho. O relator da ação é o ministro Teori Zavascki.

Em junho deste ano, a defesa de Cunha recorreu ao STF para suspender a decisão do juiz Augusto César Pansini, da 6ª Vara Federal em Curitiba, que determinou a indisponibilidade dos bens de Cunha e da mulher dele, Cláudia Cruz. A defesa alegava que os fatos da ação que tramita na primeira instância eram os mesmos de um inquérito que tramita no STF. Para os advogados, o envio da ação para a 6ª Vara violava a competência do STF e pediam que o processo fosse suspenso até que houvesse uma decisão da Corte com relação a competência do caso.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir