Esportes

Cuca quer Gabriel Jesus com mais liberdade

Aos 19 anos atacante é o grande favorito do treinador Cuca - foto: divulgação

Aos 19 anos atacante é o grande favorito do treinador Cuca – foto: divulgação

Gabriel Jesus teve uma ascensão meteórica. Foi artilheiro da base, ganhou as manchetes dos jornais, viu sua renovação contratual se transformar em novela e virou ídolo do Palmeiras antes mesmo de estrear entre os profissionais. Entre altos e baixos, ele completou 19 anos e, agora, luta para se firmar de vez como uma verdadeira estrela, para se descolar do rótulo de promessa.

Para isso, terá ajuda fundamental de Cuca nessa função. O comandante já adotou essa mudança como o seu primeiro marco no trabalho no Palestra Itália.

Nas melhores apresentações da carreira, ele teve mais liberdade para atuar do que responsabilidade de marcação. E o recém-contratado treinador palmeirense já avisou que ele tem essa ideia para o jovem atacante.

Ao chegar no Palmeiras, Cuca conversou com o auxiliar Alberto Valentim, com os mais experientes do grupo, como Zé Roberto, e até com a direção. O diagnóstico era quase que unânime: ele precisa atuar livre e usar da juventude para ajudar na marcação.

Foi assim na base, quando a equipe atuava praticamente para dar chances de gols a ele, e na seleção olímpica, onde Gabriel pôde atuar com mais liberdade, ostentando, inclusive, a camisa 10.

Com Marcelo Oliveira no comando, ele precisou atuar mais pelas pontas e voltar mais do que o considerado ideal por Cuca na marcação. Nas outras poucas chances com Oswaldo de Oliveira, chegou até a jogar como um centroavante.

Contra Corinthians, no clássico do Paulista no fim de semana, e contra o Rosário Central, pela Libertadores, Gabriel já atuou mais livre e leve, como definiu o próprio comandante.

“Eu analiso que um jogador como ele não pode ficar pelo lado, onde praticamente joga de costas. Então se você põe ele para flutuar entre os volantes, como eu deixo, escolhendo o lado, sempre acompanhado de uma referência, ele está aproveitando bem, se encaixando bem. É um jogador inteligente, rápido, sabe fazer gol”, disse o comandante.

Cuca, no entanto, reconhece que Gabriel ainda precisa ter calma para poder se colocar como uma promessa que virou realidade. “Eu acho que esse aí é uma grande promessa do futebol brasileiro, tomara que ele continue nesse caminho que está, com algumas correções que a gente tem de fazer, que ele vai ser ainda um grande jogador. Já é um grande jogador, mas vai ser melhor ainda”.

A mudança do treinador tem surtido efeito imediato. Artilheiro da equipe na temporada, ele tem oito gols em apenas 17 jogos. No ano passado, ele marcou sete com 20 jogos a mais. Resta aos palmeirenses chorarem a sua ausência na próxima quinta-feira (14), no jogo decisivo contra o River Plate do Uruguai.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir