Dia a dia

CRO identificou 21 casos de falsos dentistas no AM

De 2014 até maio de 2015, o Conselho Regional de Odontologia do Amazonas (CRO-AM) emitiu 361 notificações por diversos tipos de irregularidades na área de odontologia, dentre elas o exercício ilegal. No ano passado, foram registrados 12 casos, e neste ano mais nove de exercício ilegal. Os dados foram divulgados pelo presidente do órgão, o cirurgião-dentista João Franco, e conselheiros, na manhã de ontem.

De acordo com ele, neste ano, um dos casos considerados mais graves foi registrado no município de Uarini, a 564 quilômetros de Manaus, onde um vereador, que não tem nenhum tipo de formação na área de odontologia, foi flagrado novamente atendendo em um consultório. “Ele foi flagrado atendendo sem nenhum equipamento de segurança, mesmo já tendo sido notificado e já respondendo pelo exercício ilegal. Novamente acionamos as autoridades do município”, disse João Franco.

De acordo com o presidente do CRO-AM, João Franco, o Conselho está seguindo o cronograma de fiscalização 2015, intensificando as ações principalmente no interior do Estado. Ele destaca que, além da parte de coibir o exercício ilegal, as visitas aos municípios também servem para levar informações aos profissionais registrados que atuam nessas localidades.

Nos últimos dias, foram visitados os municípios de Novo Airão, Manacapuru, Careiro da Várzea, Rio Preto da Eva, Iranduba e Uarini. Ele ressalta que a deficiência de profissionais no interior é uma realidade não apenas no Amazonas, mas na maioria dos outros Estados, já que grande parte dos profissionais está concentrada na capital. “Nossas ações visam impedir que pessoas sem nenhum tipo de formação atendam e coloquem em risco à saúde da população”, disse.

Em alguns municípios, o presidente informou, a fiscalização abordou diversos estabelecimentos identificados como consultórios, sem nenhum tipo de condições sanitárias e de higiene para atendimento. “Além de práticos atuando nesses locais, constatamos equipamentos e materiais acondicionados no chão, sem nenhum tipo de higiene”, disse Franco.

O presidente do CRO-AM alerta que somente o cirurgião-dentista é capacitado e autorizado a fazer procedimentos na boca do paciente, garantindo a saúde e o bem-estar do paciente. “A prática ilegal pode resultar em complicações graves como a contaminação por doenças: Hepatite, HIV, herpes e infecções bacterianas, ocasionadas pela falta de higiene ou esterilização inadequada de equipamentos entre outros”, afirmou.

Denúncias

Segundo o CRO-AM, o Amazonas tem, aproximadamente, 4 mil profissionais inscritos.  A população pode ajudar no combate aos falsos dentistas denunciando-os para o conselho e ainda para os órgãos de polícia, já que o exercício ilegal da profissão é um crime previsto no Código Penal Brasileiro (CPB).

O CRO Amazonas possui sede na rua Silva Ramos, 71, Centro. As denúncias podem também ser feitas pelos telefones 0800-284-1380 e 3131-2200.

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir