Economia

Crise derruba a venda de fogos de artifício no AM

Conforme lojistas do ramo, os consumidores estão receosos em gastar com os tradicionais fogos usados no Ano-Novo. - foto: Ione Moreno.

Conforme lojistas do ramo, os consumidores estão receosos em gastar com os tradicionais fogos usados no Ano-Novo. – foto: Ione Moreno.

O hábito de soltar fogos de artifício na passagem para o novo ano tem perdido força e derrubado a comercialização desses produtos em Manaus.

Os comerciantes do ramo afirmam que houve queda de 50% nas vendas, neste mês, em relação ao mesmo período de 2014. Para atrair o consumidor, os lojistas evitaram reajustar preços.

Conforme Geraldo Magela de Souza, proprietário de uma tradicional loja de fogos na Zona Centro-Sul da cidade, mesmo com o preço em conta vale aceitar qualquer negócio com cliente. “As vendas caíram bastante. Para se ter ideia, nem na semana do Natal conseguimos vender como vendíamos em anos anteriores. A saída é aceitar qualquer oferta do cliente”, disse Magela, que trabalha há 40 anos no ramo.

Há 30 anos na atividade, Karla Feitosa considerou como “horrível” o desempenho das vendas até o momento. Ela comentou que em anos anteriores, nesta época, o estabelecimento ficava lotado de clientes à procura dos fogos. “Não sei se as pessoas estão recuando nos gastos, com receio do que vem no próximo ano. Está todo mundo com o pé atrás em gastar”, disse.

Na loja onde trabalha, os produtos mais vendidos são os foguetes simples, que custam R$ 15 a caixa com seis unidades e os fogos coloridos, vendidos a R$ 25 cada caixa.

Os comerciantes torcem para que a queima de fogos durante a passagem para o novo ano motive os consumidores a manter a tradição. “Não está com o movimento esperado. Como a gente também realiza shows pirotécnicos, nem isso faz aquela diferença que fazia”, lembrou Karla.

Na loja, as pistolas de fogos são comercializadas a partir de R$ 12.

 

Cuidados

Além dos preços em conta, os comerciantes se preocuparam em oferecer alguns serviços pensando nos cuidados no manuseio do material.

Os funcionários das lojas têm repassado dicas de segurança aos consumidores na hora de vender os fogos de artifício. “A gente orienta a ler as instruções da embalagem direitinho. Dependendo do tamanho dos fogos, eles devem ter uma base para ficar no chão. As pistolas menores, que não têm base, vêm com encaixe para ficar mais longe das mãos”, disse Karla.

 

Por Lindivan França

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir