Sem categoria

Cresce número de novas lojas no comércio local

Os dados nacionais apontam uma queda de 9,1% em média - foto: Diego Janatã

Os dados nacionais apontam uma queda de 9,1% em média – foto: Diego Janatã

Na contramão do cenário de crise que assola o Brasil, com alta no fechamento de lojas no comércio varejista, o Amazonas registrou um aumento na abertura de novos estabelecimentos comerciais de 1,7%. Os dados constam de uma pesquisa e foram divulgados ontem (7) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

O vice-presidente da Federação do Comércio do Estado do Amazonas (Fecomercio), Anderson Frota, avaliou como  positivo esse aumento. “Nossa região tem uma sazonalidade na economia no período do verão, onde melhora a situação para as vendas no comércio, o que também possibilita esse crescimento no número de negócios novos”, disse Frota.

O presidente da Fercomercio, José Roberto Trados, apesar de surpreso, comemorou os dados do comércio local. “Estou surpreso com esse aumento, até porque tínhamos um registro apenas de um leve aumento no setor de serviços, para os segmentos de restaurantes, bares e outros. Para o comércio houve queda, tanto no varejo como no atacado”, concluiu o empresário.

Nacional

Os dados nacionais apontam uma queda de 9,1% em média, com o número de 64,5 mil estabelecimentos comerciais perdidos nos últimos 12 meses no país.

O segmento de hiper e supermercados, responsável por 32,6% das lojas em operação, liderou a queda, com a extinção de 15,5 mil pontos de vendas. Em seguida, vieram os segmentos de vestuário (-9,7 mil) e de materiais de construção (-9,5 mil).

Um dos motivos apontados pela CNC para o fechamento de estabelecimentos comerciais no país é a “deterioração das condições de consumo caracterizada pela inflação e pelos juros elevados, além dos níveis de confiança de empresários e consumidores em baixa, associada à inexistência de perspectivas concretas de recuperação do mercado de trabalho, impõe um cenário desalentador para  o  varejo,  pelo  menos,  no  médio  prazo,” informou o estudo.

Fechamento

Esse cenário reflete, também no fechamento líquido de estabelecimentos comerciais nos últimos meses.

De acordo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), nos 12 meses encerrados em outubro, o desempenho apresentado é inédito em mais de uma década desse indicador, historicamente associado ao comportamento das vendas.

Por Joandres Xavier

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir