Fonte: OpenWeather

    Crime Cibernético


    Casal pega 30 anos de prisão por vazar vídeos sexuais de adolescente

    A menor e o homem tiveram um relacionamento e fizeram fotos e vídeos fazendo sexo. Após descobrir o envolvimento, ex-namorada surtou e divulgou os conteúdos

    Polícia Civil investigou ameaças que adolescente recebeu por mensagens | Foto: Divulgação

    Tocantins – Uma adolescente de 15 anos teve fotos e vídeos íntimos disseminados em um aplicativo de mensagens após começar um relacionamento com um homem de 22 anos. A suspeita de cometer o crime é a ex-namorada dele. Ambos foram indiciados.

    O homem teve um relacionamento amoroso com a menor e, por ciúmes, a ex-namorada do jovem teria divulgado os vídeos e fotos da adolescente. O caso aconteceu em uma cidade do interior do estado de Tocantins.

    As investigações sobre o caso começaram após o conteúdo pornográfico ser divulgado em um aplicativo de mensagens. Antes de disseminar o conteúdo, a mulher chegou a ameaçar a adolescente com mensagens.

    Leia também: Polícia Federal intercepta avião com 300 quilos de cocaína

    De acordo com a Polícia Civil, a menor teve um relacionamento por aproximadamente duas semanas com o homem. A adolescente teria consumido bebidas alcoólicas em um dos encontros e, a pedido do companheiro, tirou fotos e fez um vídeo íntimo.

    A ex-namorada do homem descobriu o relacionamento e começou a ameaçar a menor. A mulher teve acesso ao conteúdo íntimo e divulgou o vídeo. Ainda conforme a polícia, a mulher afirmou que o homem teria divulgado as fotos.

    Os dois foram indiciados. O homem por guardar e disseminar conteúdo pornográfico de adolescente, oferecer bebida alcoólica para menor de idade e violação sexual mediante fraude. A mulher foi indiciada por guardar e armazenar fotos e vídeos íntimos da adolescente. Ao todo, as duas penas podem somar até 30 anos de prisão.

    O caso foi encaminhado para a justiça e a dupla responde aos crimes em liberdade. O nome dos suspeitos não foi divulgado para preservar a identidade da adolescente.

    Leia mais:

    MP investiga site que vende CPF, endereço e outros dados pessoais

    Congresso aprova MP que estabelece preços mínimos de frete

    Com medo de traição, homem põe fogo em carro de mulher em motel