Mundo

Corrida eleitoral nos EUA se acirra e manifestantes protestam contra Trump

Centenas de pessoas protestaram nas ruas de Costa Mesa, na Califórnia, contra o empresário Donald Trump, que está na disputa para representar o Partido Republicano nas eleições presidenciais nos Estados Unidos, em novembro deste ano. Várias comunidades de imigrantes se opõem à candidatura de Trump por temerem que, se eleito, ele adote políticas mais duras contra a permanência de estrangeiros no país.

Ostentando bandeiras dos Estados Unidos e do México, os manifestantes iniciaram os protestos ontem (28) à noite e prosseguiram na madrugada de hoje (29). Eles bloquearam ruas, danificaram pelo menos um carro da polícia, aos gritos de palavras de ordem como: “A rua é de quem? A rua é nossa!”. Vinte pessoas foram presas, mas não houve feridos com gravidade, segundo informou a polícia.

Donald Trump apareceu ontem publicamente na Califórnia pela primeira vez desde o início de sua campanha. Ele esteve em um evento no condado de Orange, ao sul de Los Angeles, onde falou para correligionários sobre política de imigração. A população do condado de Orange é uma das mais conservadoras da Califórnia. “Queremos que as pessoas entrem [no país]. Mas eles têm de vir de forma legal”, disse Trump. Ele também reiterou sua promessa de construir um muro na fronteira do país com o México, que pagaria pela obra.

Além de Trump, os demais candidatos republicanos – o senador do Texas, Ted Cruz, e o governador de Ohio, John Kasich – devem participar de reuniões com eleitores neste final de semana, na Califórnia, para disputar o apoio nas primárias do estado, que ocorrem em 7 de junho.

Antes da Califórnia, haverá primárias nos estados de Indiana, Nebraska, West Virginia, Kentucky, Oregon, Washington e no território de Guam. Haverá também assembleias eleitorais para escolha de delegados em Porto Rico e nas Ilhas Virgens. Em nenhum desses locais porém existe a possibilidade de Trump atingir o limite mínimo de 1.237 delegados necessários para ser o candidato nomeado do partido, segundo cálculos de comitês eleitorais.

Caso as previsões se confirmem, a Califórnia terá, pela primeira vez desde 1964, um papel decisivo na escolha do candidato republicano este ano, já que há 172 delegados em disputa no estado. Como a Califórinia é um dos últimos estados a fazer as consultas prévias, desde 1964 as primárias ocorrem com um dos candidatos republicanos já tendo atingido o número mínimo de delegados

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir