Sem categoria

Corpo do menino André, que caiu em bueiro na Zona Norte, é liberado pelo IML

O velório, que será realizado na casa da avó do menino, no Armando Mendes, Zona Norte, e o enterro de André estão programados para amanhã - foto: divulgação

O velório, que será realizado na casa da avó do menino, no Armando Mendes, Zona Norte, e o enterro de André estão programados para amanhã – foto: divulgação

Após um mês de espera chegou ao fim o sofrimento da família do pequeno André Pereira Crescenço, 6, que morreu após cair em um bueiro no bairro Amazonino Mendes, Zona Norte de Manaus. De acordo o diretor do Departamento de Polícia Técnica e Cientifica (DPTC), perito criminal Jefferson Mendes, o corpo do menino foi liberado no final da manhã desta terça-feira (24), após a comprovação do exame de DNA.  A família, entretanto,  só vai retirá-lo na manhã desta quarta-feira (25) no IML, e farão um cortejo na rua onde ele morava.

O enterro de André acontecerá a partir das 13h, no cemitério Parque Tarumã, Zona Oeste.

“A demora da liberação do corpo do André ocorreu justamente pela falta de documentação legal que a lei exige. Eu não posso liberar um corpo sem ele está identificado. André era adotado e não possuía certidão de nascimento, carteira de vacinação ou outro tipo de documento que o identificasse”, disse.

Mendes explicou que a demora no resultado do exame de DNA da criança, ocorreu porque o corpo do menino já estava em estado de putrefação e foi preciso realizar outro procedimento para colher material genético do osso. O resultado desse tipo de exame pode demorar até 30 dias.

“Realmente o que demorou foi o exame de DNA. Foi feita a primeira extração do material,  levado para a análise, processado, só que como foi feita à extração de um tecido que já estava em avançado estado de decomposição, o exame não retornou com resultados esperados. A gente optou por fazer refazer o exame e como o material genético que fizemos a analise possui um DNA muito degradado, demanda certo tempo”, explicou.

A avó do menino, Albertina Natividade, 53, esteve no Instituto Médico Legal (IML) acompanhando a liberação do corpo. Ela comentou que estava se sentido aliviada, pois agora vai poder enterrar o neto e ficar em paz. “Essa demora deixou a gente muito abalado. Já estávamos arrasados com a perda do André e depois esse processo enrolado para liberar o corpo. Não foi fácil, mas graças a Deus conseguimos”, disse.

Relembre o caso

André Pereira caiu no bueiro no dia 23 de abril, após uma enxurrada, ele teve o corpo levado por mais de 10 quilômetros, sendo encontrado três dias depois, no parque do Mindu, Zona Centro-Sul. O menino jogava bola na chuva com o pai, que precisou ir em casa levar um balde e quando voltou percebeu o sumiço da criança.

Por Michele Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir