Sem categoria

Corpo de mulher, em avançado estado de decomposição, é encontrado na BR-174

O corpo da mulher estava seminu, vestido apenas com uma blusa - foto: Janailton Falcão

O corpo da mulher estava seminu, vestido apenas com uma blusa – foto: Janailton Falcão

O corpo de uma mulher não identificada foi encontrado em avançado estado de decomposição e com a mão decepada na manhã deste domingo (19), em um areal às margens do quilometro 903 (antigo quilômetro 9), na BR-174 – que liga Manaus a Boa Vista.

O praticante de moutain-bike Luís Augusto Santos, 24, caminhava no local, há 500 metros da rodovia, em busca de buriti (fruto), quando sentiu um forte odor com ajuda do vento e foi verificar do que se tratava.

“Eu sempre tenho costume de vir ao sítio do meu tio nos finais de semana. Hoje, não foi diferente. Só que dessa vez no lugar do fruto encontrei um cadáver, avisei o meu tio e depois um amigo da família que é policial”, disse.

A ocorrência foi atendida por policiais militares da 20ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), sob o comando do sargento F. Duarte, que acionou a perícia criminal da Polícia Civil.

Peritos do Instituto de Criminalística (IC) estiveram na cena do crime para início das investigações. Uma bolsa, supostamente utilizada pela mulher, com roupas de criança, foi recolhida a cerca de 20 metros do corpo, além de artigos de maquiagem, cordão, anel, sandálias e uma bermuda na cor preta.

De acordo com a perícia, não era possível identificar a vítima devido o corpo estar em avançado estado de decomposição, visto que poderia estar no local há quatro dias.

“Não dá para identificar e nem saber as causas da morte nessas circunstâncias em que o corpo foi encontrado. Vamos esperar o resultado da necropsia e a reclamação de familiares”, explicou a perita.

O corpo da mulher estava seminu, vestido apenas com uma blusa. A vítima estava com a cabeça raspada e a mão esquerda decepada.

O Instituto Médico Legal (IML) fez a remoção do corpo para exame de necropsia e posteriormente para identificação de familiares.

O crime será investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Por Josemar Antunes

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir