Dia a dia

Corpo de homem desaparecido há 4 dias é encontrado em igapó, no município de Eirunepé

O jovem é a terceira vítima da chacina ocorrida em uma casa de farinha, que também teve como vítima, o irmão dele, Zaqueu Pinto de Melo, 30, e o primo Francisco Braga Pinto, 22 - foto: divulgação/PM

O jovem é a terceira vítima da chacina ocorrida em uma casa de farinha, que também teve como vítima, o irmão dele, Zaqueu Pinto de Melo, 30, e o primo Francisco Braga Pinto, 22 – foto: divulgação/PM

O corpo de Jó Pinto de Melo, 16, desaparecido há quatro dias foi encontrado flutuando em um igapó, na comunidade São João, na Zona Rural do município de Eirunepé (a 1.160 quilômetros de Manaus), por vota das 13h de sábado (30). O jovem é a terceira vítima da chacina ocorrida em uma casa de farinha, que também teve como vítima, o irmão dele, Zaqueu Pinto de Melo, 30, e o primo Francisco Braga Pinto, 22.

O comandante da 11ª Companhia do Interior da Polícia Militar (CIPM), major Pedro Moreira, disse, que o corpo apresentava sinais de perfurações de tiros e golpes de terçados na cabeça, idênticos encontradas no irmão dele, Zaqueu.

Conforme o major, no segundo dia de buscas ocorrido na sexta-feira (29), o local onde Jó foi achado tinha muitos vestígios de sangue na vegetação. O corpo do jovem foi removido ao necrotério do hospital do município.

Os autores da chacina, Rosildo da Silva Gomes, 22, Antônio Edimar da Silva Gomes, 24, e Antônio Francisco da Silva Gomes, 30, seguem foragidos e podem estar refugiados na mata ou em alguma aldeia indígena, uma vez que Rosildo é casado como uma indígena.

Entenda o caso

O Comando de Policiamento do Interior (CPI) informou que a suspeita é que as mortes tenham sido praticadas por ‘vingança’. Zaqueu e Jó são suspeitos de terem assassinado, no domingo (24), o cunhado deles, José Alcimar da Silva Gomes, 27.

Os corpos foram descobertos após o irmão de Francisco, José Braga Pinto, 19, denunciar o fato à polícia. O jovem disse que estava com Francisco, que é surdo e mudo, na companhia dos dois primos Jó e Zaqueu, em uma casa de farinha, na comunidade São João, quando foram atacados, por volta das 10h, quando três homens armados de espingarda surgiram e começaram a atirar.

A testemunha informou que no momento da ação, Francisco estava deitado em uma rede quando foi alvejado. Zaqueu foi atingido com vários tiros nas costas e cabeça, além de goles de terçados pelo corpo. Já o primo, Jó, ainda conseguiu correr, mas foi perseguido e morto na mata.

Familiares informaram aos policiais, que a suspeita para o crime era por conta das agressões praticadas pelo cunhado contra a irmã deles, Maria Damiana Pinto de Melo, 24. A mulher, entretanto, negou as agressões aos policiais e, que a motivação para a morte do marido seria por conta de uma discussão durante uma bebedeira.

Por Josemar Antunes

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir