Dia a dia

Corpo de empresária morta em cirurgia na Venezuela será enterrado amanhã, em Parintins

Várias pessoas acompanharam o translado do corpo do aeroporto Júlio Belém até uma funerária de Parintins - foto: Tadeu de Souza

Várias pessoas acompanharam o translado do corpo do aeroporto Júlio Belém até uma funerária de Parintins – foto: Tadeu de Souza

Parintins (AM) – O corpo da empresária Dioneide Leite, 36, que morreu durante uma cirurgia plástica na cidade venezuelana de Puerto Ordaz, chegou em voo direto da Venezuela a Parintins às 16h30 desta quarta-feira.

Enquanto aguardava a chegada do avião, a filha da empresária passou mal e foi encaminhada para um hospital da cidade. A adolescente está sob efeito de remédios.

Familiares, amigos e membros da Igreja Evangélica Assembleia de Deus do Pará acompanharam o translado do corpo do aeroporto Júlio Belém até uma funerária da cidade onde aconteceram as primeiras homenagens póstumas.

Centenas de pessoas acompanharam o cortejo e o trânsito em frente à funerária, no centro de Parintins, ficou congestionado por causa das pessoas que a todo o momento chegavam para prestar as últimas homenagens à jovem empresária que encontrou a morte no sonho de uma operação plástica para redução dos seios.

Segundo a família, haverá um ofício religioso amanhã na igreja Assembleia de Deus no Pará, onde a mesma frequentava na Zona Sul da cidade, e em seguida no final da manhã, o sepultamento no cemitério São José, no Centro.

A senhora Nilza Santos, tia da empresária, contou que a família ainda está sob o impacto da morte da sobrinha que era muito querida por ser uma jovem expansiva, solidária e amiga.

“Nós queremos justiça, esse cidadão não é um médico, é um carniceiro, um monstro que fez isso com a minha sobrinha e ainda tomou o dinheiro da cunhada dela sem fazer a cirurgia, nós vamos lutar por Justiça”, disse.

O pai da empresária o senhor Nelson Macedo disse que na terça-feira, um dia antes de viajar para Venezuela, ela esteve em sua residência.

“Ela me abraçou e disse que me amava muito, nunca imaginei que ali naquele momento ela estava de certa forma se despedindo de mim, da mãe e da família, eu não acredito que nada será feito, que esse homem vai ficar impune, não acredito”, disse o pai da empresária com a voz embargada pela dor da perda da filha.

A empresária Dioneide Leite era natural da cidade de Alenquer, no Pará, mas residia muitos anos em Parintins onde constituiu família. Deixa dois filhos adolescentes.

Hoje, circulou nas redes sociais uma suposta declaração do médico Oscar Hurtado onde o mesmo se defende afirmando que a causa da morte da empresária não teria sido barbeiragem médica, mas sim uma fatalidade.

Por Tadeu de Souza

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir