Esportes

Corintiano pede na Justiça que clube comprove serviços prestados por filho de Lula

Na ação, o sócio levanta a suspeita de que tenha havido "desvio de dinheiro do clube através de contratos que não tiveram a respectiva contrapartida - foto: divulgação

Na ação, o sócio levanta a suspeita de que tenha havido desvio de dinheiro do clube através de contratos que não tiveram a respectiva contrapartida – foto: divulgação

Um sócio do Corinthians, Roberto Willian Miguel, ingressou com uma ação na Justiça para obrigar a diretoria a provar que Luís Claudio Lula da Silva, filho de Lula, prestou de fato serviços no Parque São Jorge.

Reportagem da Folha de São Saulo de fevereiro revelou que o herdeiro caçula do ex-presidente recebeu cerca de R$ 500 mil sem trabalhar, segundo o ex-vice Luís Paulo Rosenberg e outros funcionários ouvidos. Isso teria acontecido no período seguinte ao que Luís Claudio foi auxiliar de preparação física de Mano Menezes.

No processo, o sócio quer saber que tipo de serviço foi apresentado para que Luís Claudio merecesse receber o dinheiro.Entre os documentos pedidos estão notas fiscais emitidas, relatórios dos trabalhos feitos e comprovantes de pagamento. A ação foi revelada pelo UOL e confirmada pela reportagem.

Explicações

Anexado na ação, está um documento de esclarecimentos do Corinthians, datado de 25 de fevereiro. O clube explica todas as relações que teve com Luís Cláudio desde 2010. Primeiro, ele foi auxiliar de preparação física, até agosto de 2010. Em junho de 2011, sua empresa foi contratada para elaboração de projetos da base.

Em setembro de 2012, o contrato foi renovado até dezembro de 2013, com o objetivo expandido para captação de patrocínios para esportes amadores. O documento, assinado por Roberto de Andrade, diz que todos os pagamentos foram feitos pelo clube.

Desconfiança

Na ação, o sócio levanta a suspeita de que tenha havido “desvio de dinheiro do clube através de contratos que não tiveram a respectiva contrapartida, fazendo com que o clube pagasse por serviços que não foram prestados”.

Na matéria de fevereiro da Folha de São Paulo, o Corinthians e o filho de Lula negaram que tenham existido pagamentos sem prestação de serviço.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir