Esportes

Convocação de Dunga testa futuro de ‘chineses’ na seleção brasileira

dunga

O histórico não é favorável para os dois ex-corintianos. foto: reprodução

Os milhões de dólares que levaram o zagueiro Gil e o meio-campista Renato Augusto para o futebol chinês serão colocados à prova nesta quinta-feira (3), quando Dunga convocará pela primeira vez no ano a seleção brasileira, para os jogos contra o Uruguai e Paraguai, pelas eliminatórias da Copa do Mundo-2018.

Destaques do Corinthians na conquista do hexacampeonato brasileiro, Gil e Renato Augusto foram titulares no último jogo do Brasil em 2015 –vitória sobre o Peru por 3 a 0, em novembro. O zagueiro foi negociado com o Shandong Luneng por R$ 44,5 milhões, enquanto o Beijing Guoan pagou R$ 34,5 milhões pelo meio-campista.

O histórico não é favorável para os dois ex-corintianos. Os jogadores que deixaram o país nos últimos dois anos e se transferiram para o futebol chinês perderam espaço com Dunga na seleção brasileira. Diego Tardelli, Ricardo Goulart e até Robinho sentiram na pele, assim como Everton Ribeiro, que trocou o Cruzeiro pelo Al Ahli, dos Emirados Árabes.

Titular da seleção brasileira em quatro jogos em 2014 –ficou fora das partidas contra a Turquia e a Áustria por um acordo da CBF com os clubes brasileiros–, Tardelli perdeu vaga na equipe principal. Ele ainda foi convocado para a Copa América e jogou contra o Peru. Nos dois jogos seguintes entrou na etapa complementar e não foi utilizado contra o Paraguai. Depois ficou fora dos amistosos e das convocações para as eliminatórias.

Everton Ribeiro seguiu o mesmo caminho. No segundo semestre de 2014, o jogador do Cruzeiro esteve presente na maioria das convocações. Depois de se transferir para os Emirados Árabes, o jogador ainda foi para a Copa América, onde foi pouco aproveitado.

Robinho esteve no torneio continental e foi escalado para ser o substituto de Neymar. Após a competição, se tranferiu para o chinês Guangzhou Evergrande e não figurou na nova lista.

Novidade no Gol

Desde a disputa da Copa América, Dunga não demonstrou confiança em seus goleiros e já testou três goleiros: Jefferson, Marcelo Grohe e Allison, que terminou a temporada como titular.

A lista pode ter um novo candidato nesta quinta-feira (3). Recuperado de uma lesão no joelho que o tirou do torneio continental, Diego Alves, 30, do Valencia, virou mais uma opção. Ele foi titular nos amistosos contra a Turquia e Áustria, realizados em 2014, e era a primeira opção para a reserva de Jefférson.

Com a contusão, foi cortado do torneio realizado no Chile e viu Dunga chamar outros jogadores para a posição: Neto, da Juventus, Cássio, do Corinthians –ambos não tiveram oportunidades–, e Alisson, do Internacional, além de Marcelo Grohe, que já vinha sendo convocado.

“Tenho o objetivo de retornar à seleção brasileira. Se tiver que ser chamado, vou ficar muito honrado. Hoje, estou 100% recuperado da lesão e muito bem fisicamente e mentalmente”, disse Diego Alves, que foi operado pelo médico da seleção brasileira, Rodrigo Lasmar.

“A seleção brasileira está muito bem servida de goleiros. Todos que foram chamados nesse período corresponderam as expectativas. O Dunga conhece meu trabalho e se precisar estou à disposição”, acrescentou o goleiro, que já atuou em três jogos oficiais pelo Valencia desde o seu retorno aos gramados.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir