Saúde e Bem Estar

Convívio com cães na infância favorece desenvolvimento psicológico, afirma especialista

O convívio com o animal não é um tratamento em si, mais uma ferramenta a mais para a socialização – Divulgação

“O convívio com o animal desenvolve significativamente a expressão de comportamento social”

Sintomas de doenças psíquicas são significativamente minimizados com a presença de um animal de estimação e esses benefícios são ainda maiores quando o bichinho convive com uma criança com autismo. De acordo com a médica veterinária Andressa Figueiredo, os animais servem como verdadeiros filtros e diminuem sintomas como ansiedade, depressão, pressão sanguínea, além da frequência cardíaca e respiratória, o que tem impacto extremamente positivo às crianças com os mais diversos graus de autismo.

“Além de tudo isso, o convívio com o animal desenvolve significativamente a expressão de comportamento social e, com isso, a criança autista pode ter uma via de reconexão com o mundo externo”, explicou a médica veterinária.

De acordo com ela, o convívio com o animal não é um tratamento em si, mais uma ferramenta a mais para a socialização destas crianças. “A presença de um cachorro não descarta a necessidade de um acompanhamento especializado. Ainda assim, observamos que crianças que possuem um bichinho dentro de casa têm um desenvolvimento superior. O especialista que acompanha a criança precisa saber que um animal entrou na sua rotina e como isso está influenciando sua condição”, assegurou.

Os benefícios são tantos psicológicos quanto neurológicos e físicos, afirmam os especialistas | Divulgação

No entanto, a médica veterinária afirma que para acompanhar uma criança com autismo, o animal precisa de um treinamento especial, que deve ser dado por um adestrador profissional. “O animal precisa aprender a se portar com essa criança, que tem necessidades diferentes das outras. Tudo isso é passado por um especialista, que vai ajudar a tornar esse convívio mais fácil e proveitoso para a criança e para a família inteira”, alertou.

“A influência positiva dos animais sobre as crianças é extremamente útil para o seu desenvolvimento”

Segundo o adestrador Jaime Pinheiro, o trabalho de treinamento é iniciado com uma socialização dos cães, que aprendem os comandos básicos e depois são treinados de acordo com a necessidade de cada criança. “Com essa experiência, as crianças apresentam maior desenvolvimento das habilidades e coordenação motora e isso acontece devido às necessidades afetivas dos cães e de suas diversas maneiras de expressar carinho. As mudanças comportamentais das crianças são muito perceptíveis”, assegurou.

Ainda de acordo com ele, os benefícios são tantos psicológicos, neurológicos e físicos.“A influência positiva dos animais sobre as crianças é extremamente útil para o seu desenvolvimento e isso acontece devido à relação de amor e carinho que ela desenvolve com o
seu animal”.

EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir