Sem categoria

Contratações temporárias estão em declínio no Amazonas

Os economistas dizem que há muito por vir de ruim - foto: Diego Janatã

Os economistas dizem que há muito por vir de ruim – foto: Diego Janatã

Com o cenário de crise econômica, dirigentes empresariais das categorias responsáveis pelos novos postos de trabalho típicos de fim de ano prevêem uma quantidade menor de contratações temporárias para o segundo semestre deste ano. Tradicionalmente, as contrações de fim de ano são grandes oportunidades para as pessoas que buscam uma vaga formal no mercado de trabalho.

O comércio, em 2014 gerou 11 mil empregos, segundo o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL Manaus), Ralph Assayag. Na ocasião houve a inauguração de dois grandes shoppings na zona Norte de Manaus com a abertura de 600 lojas. “Neste ano, tivemos tudo que foi possível de inconveniência contra o comércio. Tivemos o fenômeno da cheia que comprometeu muitas lojas, a greve dos servidores da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus) e não tivemos a Copa como no ano passado. Sobrevivemos”, conta.

Segundo Assayag, diante desta situação, o comércio, talvez, deve contratar no final de agosto. Porém, ele salienta que as previsões não são otimistas.

O presidente da CDL Manaus destacou que, para o final de ano, pode confirmar somente a abertura de 520 postos de trabalhos com a inauguração de novos empreendimentos. Segundo ele, 420 lojas serão abertas com a inauguração de um shopping na Zona Leste e 120 outras lojas com um empreendimento situado na avenida Djalma Batista.

Otimismo

De acordo com a presidente Associação dos Lojistas do Amazonas Shopping (ALASC), Mercedes Brás, tudo indica que cenário não será muito bom, em 2015. Porém, ela acrescenta que os lojistas não podem deixar de ser otimistas.
Em 2014, o Amazonas Shopping registrou 600 contratos temporários. “Em 2015, vai ter, no máximo, metade do que tivemos no ano passado”, revela.

Para a empresária, o momento é de avaliação e otimismo. “Temos que pensar. Os economistas dizem que há muito por vir de ruim, mas temos que empregar pessoas. Temos que ter um pouco de entusiasmo. Até o fim de outubro, espero uma realidade positiva. Desde março, praticamente, só recebemos currículos. Nunca houve tanto recebimento de currículo”, salienta.

Oportunidades

Tradicionalmente, as oportunidades no comércio para contratação temporária são para as funções de caixa, vendedor, atendente, estoquista, gerente, subgerente, fiscal de loja e encarregado. Metade das vagas é destinada aos vendedores.

O mercado costuma exigir que o candidato tenha ensino médio, mas caso não haja trabalhadores com esse grau de escolaridade, os lojistas costumam selecionar pessoas com ensino fundamental.

Por Cleidimar Pedroso

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir