Sem categoria

Construção civil amazonense perderá 6 mil empregos em 2015

Conforme o Sinduscon-AM, crise econômica do país tem afetado o setor da construção civil em todo o país, inclusive no Amazonas, onde as empresas fecharão, aproximadamente, 6 mil postos de trabalho em 2015 - foto: reprodução

Conforme o Sinduscon-AM, crise econômica do país tem afetado o setor da construção civil em todo o país, inclusive no Amazonas – foto: reprodução

Seguindo a tendência nacional – que estima perda de 508,2 mil postos de trabalho nos últimos 12 meses -, a construção civil amazonense vai fechar mais um ano com queda na quantidade de ocupações nos canteiros de obras do setor.

Segundo o Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Estado do Amazonas (Sinduscon-AM), ao menos 6 mil empregos foram perdidos em relação a 2014.

Conforme dados da entidade, a tendência é que 2015 feche com menos de 70 mil postos de trabalho formais, recuo de 7,9% em relação ao ano passado, quando foram gerados 76 mil empregos.

De acordo com o presidente do Sinduscon-AM, Eduardo Lopes, o cenário é o retrato das condições criadas pela economia do país. Ele afirmou que, há um ano, o governo federal está com os pagamentos das obras do programa “Minha Casa, Minha Vida” atrasados, assim como nas construções do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O dirigente está pessimista em relação a 2016. “Deus quisera que pudesse melhorar, mas nada está sendo nada feito para que isso aconteça. A perspectiva é que seja ainda pior do que 2015, nada é feito para que esse cenário mude, que tenha uma retomada no crescimento e que cesse o desemprego”, apontou Lopes.

O proprietário da MCA Construções, Frank Souza, corrobora com a opinião do presidente do Sinduscon-AM sobre as razões que levaram a perda dos postos de trabalho na construção civil. Assim como Lopes, ele acredita que o ano de 2016 pode será de dificuldades, mas não como as enfrentadas em 2014 e neste ano.

O empresário aposta no aumento de investimentos federais e na melhora do mercado imobiliário. “O governo já agendou algumas obras em rodovias para o ano que vem. No Amazonas, não sei se terá alguma, não sei se essa verba chegará até aqui. A tendência é que melhore, principalmente se o setor obter financiamento mais em conta. O que se prevê é que vá avançar gradativamente. O começo de ano é sempre um momento favorável. No mercado imobiliário existem alguns empreendimentos em início de obra”, contou Souza.

Otimismo

Segundo o presidente do Sindicato da Construção Civil e Montagem de Gasoduto e Oleoduto do Estado do Amazonas (Sintracomec-AM), Cícero Custódio, o pior já passou. Conforme ele, 2015 foi melhor do que o ano passad.

Para Custódio, as projeções negativas feitas para 2016 por parte dos empresários são exageradas. “Em 2015, nós tivemos um aumento nos postos de trabalho de quase 3% em relação a 2014. A expectativa é que se tiver uma queda, que ela será pouca, pois há muitas obras previstas para começar no Amazonas. Aqui o cenário não é tão negativo. Os empresários fazem esse barulho todo para tentar baixar o salário do trabalhador”, alfinetou Custódio.

Por André Tobias

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir