Saúde e Bem Estar

Conheça o perigo à saúde do uso abusivo de termogênicos

Brunella Dantas superou problemas com ansiedade – Divulgação

 

A busca pelo corpo perfeito e a “sede” de equilibrar os dígitos da balança têm levado pessoas “comuns” e atletas ao uso excessivo de substâncias que queimam calorias no organismo. Dentre as mais procuradas, estão os termogênicos, que, ao serem inseridos, exercem essa função no corpo.

Os termogênicos, também conhecidos como queimadores de gordura, trabalham transformando em energia as calorias provenientes da gordura corporal e da alimentação. Para isso, eles procuram manter o metabolismo acelerado, promovendo uma queima calórica maior ao longo do dia.

Se comparado a um automóvel, o corpo humano seria um carro 1.0 sem o uso de termogênico e 2.0 com o uso dele. Isso acontece justamente porque são esses alimentos que ajudam o corpo a consumir energia de forma mais rápida, acelerando o metabolismo, por meio da termogênese, que nada mais é do que o aumento da temperatura corporal. E é exatamente isso que busca a cirurgiã-dentista Brunella Dantas, 32, para as próximas sete semanas.

Para defender o bicampeonato no Campeonato Amazonense de fisiculturismo no dia 18 de junho, Brunella precisa reduzir o percentual de gordura no corpo, que para a disputa precisa estar entre 10% e 12%.

“Estou usando o Super HD, que é um pré-treino. Faço pouco uso porque já tenho uma alimentação bem regrada, mas como preciso sair dos 15% atuais [de gordura no corpo], estou aliando o termogênico com atividades aeróbicas”, explicou. Brunella revelou ainda que para atingir a meta estipulada para o concurso, tem na dieta apenas 100 gramas de carboidratos ingeridas de forma fracionada ao longo do dia.

O consumo dos termogênicos não ajuda apenas na perda de peso. Ele consegue oferecer outros benefícios, tais como redução do apetite, favorecimento do metabolismo, mais energia para os treinos e melhora da performance e definição da massa muscular.

Além dessas vantagens, Brunella contou que superou problemas com a ansiedade e com a hiperatividade após a mudança do estilo de vida. Segundo ela, que segue acompanhamento de profissionais das áreas de educação física e da saúde, a nova rotina somada ao uso dos suplementos lhe trouxe maior concentração e melhores noites de sono.

Confira a mudança no corpo de Brunella – Divulgação

Mas, há aquelas pessoas que, ao contrário de Brunella, não procuram orientações de profissionais e por indicação de amigos ou por simples pesquisas do que um suplemente pode oferecer e se arriscam ao utilizar os “queimadores de gordura”.

“Como o acesso é fácil, as pessoas acham que têm o efeito milagroso. Mas, como todos os outros suplementos, os termogênicos precisam ter uma indicação de um nutrólogo. Ninguém sabe se a pessoa tem um distúrbio metabólico, diagnosticado apenas por meio de exames”, frisou o personal trainer Vinícius Barbosa.

Vinícius, que é pós-graduado em bodybuilding coach, alerta que o uso indiscriminado do termogênico pode acometer danos “moderados ou ainda maiores, como os cardiovasculares”.

“Qualquer produto, por mais natural que seja, apresenta seus efeitos colaterais, recomendações e cuidados. Os efeitos colaterais que os termogênicos podem causar são similares aos dos estimulantes e, geralmente, aumentam quanto maior for a quantidade consumida”, explicou a nutricionista do sistema Hapvida Saúde, Raissa Lima. “Por isso não faço recomendações e tenho parcerias com nutricionistas. A prescrição de dietas e suplementos para os clientes que acompanho são feitas por profissionais de saúde”, completou o personal.

A nutricionista endossa as palavras do personal e frisa que a “saúde do paciente deve vir sempre em primeiro lugar”. “A decisão pelo uso ou não do termogênico vai vir de um cardiologista mais um endócrino após uma série de exames, inclusive de sangue”, disse.

Os efeitos que o termogênico podem causar nas pessoas são insônia, dor de cabeça, enjoo, arritmia cardíaca, aumento da pressão arterial e falta de concentração. Um desses sintomas foi sentido por uma professora universitária, que preferiu não se identificar.

Ela contou que comprou o produto pelo Instagram e que tomou seguindo as orientações de quem o vendeu. “Senti-me agitada, nauseada, suava frio. Tive grande dificuldade de dormir e, no outro dia, revelei para a minha personal como estava antes do treino. Ela me alertou para o perigo que eu estava correndo e resolvi parar de tomar”.

Pessoas que possuem problemas cardíacos, diabéticos e dificuldades para dormir estão no “grupo de risco” e devem evitar o consumo das substâncias termogênicas. A liberação para o uso deve ser feita somente após exames médicos.

“Como o uso altera o fluxo sanguíneo, a pessoa pode até ter um acidente vascular cerebral (AVC)”, alerta a nutricionista.

Rosianne Couto

EM TEMPO

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top