Sem categoria

Congresso vota veto de reajuste dos servidores da Suframa na próxima terça-feira

O Congresso Nacional vota na próxima terça-feira (16) o veto da presidente Dilma Rousseff à emenda da Medida Provisória 660/2014, que reestrutura a carreira dos servidores da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). O veto foi o ápice para a deflagração da greve dos funcionários da autarquia, que começou no dia 21 de maio.

Segundo o presidente do Sindicato dos Servidores da Suframa (Sindframa), Anderson Belchior, a entidade tem, ao longo da paralisação, realizado reuniões com a bancada do Amazonas no Congresso para definir estratégias para a derrubada do veto.

Conforme o sindicalista, a categoria está confiante e acredita que os parlamentares vão reparar o “erro” da presidente. “Os servidores da Suframa estão confiantes e estamos aqui no Congresso trabalhando para a derrubada do veto. Estamos conversando com senadores e  deputados federais, esclarecendo sobre a importância da autarquia para o país e o quanto foi absurdo este veto. Agora, pautada a votação para o dia 16, teremos mais trabalho ainda”, comentou Belchior.

O líder da bancada no Congresso, Senador Omar Aziz (PSD), considerou uma injustiça à emenda ter sido barrada pela presidente. “Temos que dar condições para esses servidores trabalharem com dignidade, repondo uma realidade que há anos eles vêm reivindicando. Vou tentar de todas as formas derrubar o veto e quero contar com o apoio de todos os parlamentares para conseguir reparar essa injustiça que deve ser corrigida,  já que a medida foi aprovada por unanimidade no Senado”, afirmou Aziz.

Audiência Pública

O não cumprimento do reajuste dos servidores da Suframa será debatido também em uma audiência pública requerida pelo deputado federal Pauderney Avelino (DEM).

A proposta do evento, que será realizada na quinta-feira (11), às 10h, na Câmara dos Deputados, é encontrar uma solução para o problema dos servidores, após o veto da presidente.

Foram convidados para a audiência secretários executivos do Ministério da Fazenda, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOC) e representantes do Sindframa.

Prejuízos

Em seu vigésimo dia, a greve dos servidores da Suframa já totaliza um prejuízo acima de R$ 2 bilhões, segundo os cálculos da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam). O déficit diário para o Polo Industrial de Manaus (PIM) pode chegar até R$ 130 milhões e R$ 80 milhões só em arrecadações tributárias.

Por Kattiúcia Silveira (equipe EM TEMPO Online)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir