Esportes

Confronto contra o Peru é decisão para Dunga

O jogo da seleção brasileira contra o Peru neste domingo (12), às 21h30 (de Brasília), em Boston, ainda vale pela primeira fase da Copa América Centenário, mas para Dunga já pode ser considerado o primeiro ‘mata-mata’.

O empate basta ao Brasil para passar de etapa, inclusive como primeiro, desde que o Equador não goleie o Haiti por diferença superior a seis gols, em partida também neste domingo (12).

Porém, se a seleção perder, provavelmente dará adeus à competição, já que os equatorianos devem vencer os haitianos, combinação que eliminaria o time de Dunga.

Uma queda precoce no torneio faria o treinador correr enorme risco de perder o cargo. Mas a eliminação na primeira fase, algo que não acontece desde a Copa América de 1987, não é a única situação que coloca a perigo o emprego de Dunga.

Ser eliminado nas quartas de final ou até na semifinal pode significar a queda do técnico, já que, desde que ele reassumiu o cargo, em julho de 2014, a seleção só teve regularidade em amistosos.

Na Copa América-2015, no Chile, foi batido nas quartas de final pelo Paraguai. Nas eliminatórias para a Copa-2018, após seis rodadas, ocupa apenas a sexta posição, com nove pontos, quatro atrás dos líderes Equador e Uruguai. Hoje, a seleção não se classificaria para Copa.

“Ser técnico da seleção brasileira é sofrer pressão o tempo inteiro. Estamos acostumados”, tem dito Dunga.

Para a cúpula da CBF, a Copa América serve de avaliação. Há preocupação com a vaga na Copa de 2018, claro, mas há também atenção para os Jogos Olímpicos do Rio.

Tanto que a direção da confederação decidiu que Neymar, craque brasileiro da atualidade, ficasse fora do torneio nos EUA para ser liberado para a Rio-2016.

O ouro inédito poderia dar alguns meses de tranquilidade para a entidade, cujo presidente, Marco Polo Del Nero, é acusado de corrupção.
A questão é que Dunga é o técnico das seleções principal e olímpica, formada por atletas sub-23 com três reforços acima dessa idade –um deles será Neymar. A convocação para os Jogos será em 29 de junho, três dias depois da final da Copa América.

Para se manter no cargo, Dunga e sua comissão técnica fizeram mudanças no elenco, como afastar a maioria dos jogadores que participaram da derrota para a Alemanha por 7 a 1 –como David Luiz, Marcelo e Fernandinho.

Contra o Peru, o zagueiro Miranda volta para o time titular após perder os dois primeiros jogos porque estava machucado. Walace, 21, revelação do Grêmio, deve substituir Casemiro, suspenso, como primeiro volante.

BRASIL

Alisson; Daniel Alves, Gil o Miranda, Marquinhos e Filipe Luis; Lucas Lima, Elias, Renato Augusto, Willian e Philippe Coutinho; Jonas. T: Dunga

PERU
Pedro Gallese; Renzo Revoredo, Christian Ramos, Alberto Rodríguez e Miguel Trauco; Óscar Vílchez e Renato Tapia; Alejandro Hohberg, Christian Cueva e Edison Flores; Paolo Guerrero. T: Ricardo Gareca

Juiz: Andrés Cunha (URU)
Local: Gillette stadium, em Foxborough (Boston, EUA)
Horário: 21h30 (de Brasília)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir