Economia

‘Concurseiros’ apostam nas consultorias on-line

Estabilidade no emprego em tempos de crise financeira, salários acima da média e horário fixo de trabalho são alguns dos atrativos para quem faz os concursos públicos serem tão disputados, atualmente. Como o ano de 2017 promete um leque com, ao menos, seis grandes exames, é necessário que os “concurseiros” de plantão estejam altamente preparados para as concorridíssimas provas.

De olho em quem pretende ingressar em carreira estadual ou federal, a VP Concursos desenvolve consultoria para pessoas interessadas em ingressarem no serviço público. Os interessados devem acessar o site www.vpconcursos.com.br.

O método combina planejamento e estratégias de estudo, técnicas de coaching, realização de testes e simulados, com atendimento individual para cada candidato (seja on-line ou presencial), que é realizado por um consultor especializado e aprovado em muitos concursos públicos.

Segundo o sócio-fundador da VP Concursos, Vincenzo Papariello Júnior, os “concurseiros” precisam de muito preparo. “Devido à proporção de candidatos por vagas, que nas provas mais concorridas chega a ser de 300 a 500 pessoas por vaga, quem presta um concurso público é praticamente um atleta profissional, com preparação pesada, dedicação e estratégia de estudo”, destaca.

Ainda de acordo com o empresário, a consultoria funciona como se cada candidato tivesse o seu professor particular.

“Esse professor acompanha o aluno na rotina de estudos e preparo para a prova e o orienta em suas dificuldades. Um atendimento personalizado traz confiança para a pessoa e a faz desenvolver sua capacidade cognitiva para resolver sozinha as questões mais importantes”, explica Vincenzo.

Diferencial

O empresário comenta, ainda, que a consultoria é personalizada. “O consultor tem um número máximo de alunos que ele atende ao mesmo tempo e fica disponível o dia inteiro para atendimento do aluno. É como ter um ‘personal trainer’ para concurso público, pois a orientação dada é individualizada para cada aluno”, enfatizou.

“Além disso, os cursinhos não oferecem atendimento personalizado e não há um comprometimento com a aprovação de cada aluno”, completa. Atualmente, a empresa tem 450 alunos consecutivos e é procurada por pessoas de diversas partes do país e até por brasileiros que moram no exterior e querem voltar para o país. O contato é feito por e-mail e WhatsApp, mas também há encontros presenciais ou por Skype com alunos que não residem em Brasília.

Alyne Araújo
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir