Dia a dia

Complexo viário Gilberto Mestrinho é tomado por moradores de rua

Área do viaduto diariamente é tomada pelo lixo, deixado no local por moradores de rua, que também praticam pequenos furtos – foto: Gerson Freitas

Área do viaduto diariamente é tomada pelo lixo, deixado no local por moradores de rua, que também praticam pequenos furtos – foto: Gerson Freitas

Moradores de rua que estão abrigados há mais de um mês no complexo viário Gilberto Mestrinho, localizado no bairro Coroado, Zona Leste, estariam causando transtornos a pedestres que circulam pelo local, bem como a servidores de órgãos municipais.

A sujeira deixada diariamente por eles incomoda os garis da Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp), que realizam a limpeza do complexo. Segundo eles, os órgãos responsáveis já foram informados sobre o que vem ocorrendo no complexo viário, mas até o momento nenhuma providência foi tomada.

Outra situação que preocupa quem precisa circular pela área é a agressividade dos moradores de rua, ao serem abordados ou questionados por pessoas que se oferecem para ajudá-los. Boa parte deles, por serem usuários de drogas, também vem realizando pequenos furtos na região.

“Eu já não aguento mais essa situação, todos os dias somos encaminhados para o complexo para limpar a sujeira espalhada por esse grupo de moradores de rua. Aqui eles jogam papéis, latas, vidros e o pior de tudo fazem suas necessidades fisiológicas no meio da rua e somos nós que temos que retirar. Já tentamos conversar com eles, mas na última vez eles começaram a atirar pedras e correram com pedaços de pau para cima da gente. Enquanto limpamos a área, presenciamos roubos feitos por eles. Já informamos isso ao setor responsável por essa região e para outros órgãos, mas viraram as costas e nada foi feito”, disse uma servidora da Semulsp que preferiu não se identificar.

Providências
Em nota a Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh) disse que não tinha conhecimento desta situação, mas que ainda ontem (25), enviaria uma equipe ao local para tomar providências.

Já a Secretaria Municipal de Limpeza Pública foi procurada pelo AGORA, mas até o fechamento desta edição, não se pronunciou sobre o caso.

Por Gerson Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir