Cultura

Companhia Brasileira de Teatro estreia projeto em Manaus

 A criação coletiva 'Projeto Brasil' é resultado de uma pesquisa realizada pelos integrantes da Companhia Brasileira de Teatro em circunstâncias variadas pelo país- foto: divulgação


A criação coletiva ‘Projeto Brasil’ é resultado de uma pesquisa realizada pelos integrantes da Companhia Brasileira de Teatro em circunstâncias variadas pelo país- foto: divulgação

Dois anos de estrada com apresentação de peças do repertório, realização de seminários, troca de informações, palestras, experiências, leituras e vivências junto ao público formam a matéria-prima que construiu o novo espetáculo da Companhia Brasileira de Teatro. O ‘Projeto Brasil’, patrocinado pela Petrobras, desembarca em Manaus para duas apresentações inéditas e gratuitas, nesta quarta (27) e quinta (28), no Teatro Amazonas.

Com direção de Marcio Abreu, o espetáculo nacional traz no elenco os atores Giovana Soar, Nadja Naira e Rodrigo Bolzan e o músico Felipe Storino e foi indicado em oito categorias do Prêmio Questão de Crítica (RJ). A montagem é resultado de uma programação de pesquisa nas cinco regiões do país, que gerou um conjunto de performances.

A criação coletiva que é o ‘Projeto Brasil’ reflete o material recolhido pelos integrantes da companhia em circunstâncias variadas, desde as apresentações clássicas até seminários e experiências pelas ruas das cidades brasileiras. O resultado está entrelaçado nas sequências que apresentam desde falas do ex-presidente do Uruguai José Mujica e da ministra francesa Christiane Taubira até performances que incluem a participação do público.

Cenas

São cenas independentes, em formatos diversos, que privilegiam ora a fala, ora a música, o corpo, a luz – como define Marcio Abreu, “discursos”. “Mas não são discursos unívocos, nem iguais na forma”, diz o diretor. “É um conjunto bem heterogêneo que inclui palavra, performance, música, teatro. É mais sensorial do que narrativo; convoca, implica, provoca”.

E esses artistas que se deixaram afetar pelos encontros com outros artistas brasileiros e com o público teatral, pela vivência espontânea, pelos muitos materiais, pensamentos e ações produzidos nesse trajeto trazem ao palco esse primeiro desdobramento da experiência. Não se trata, reitera Abreu, de um retrato documental, mas sim da reverberação artística da experiência.

“Com o decorrer do trabalho, isto se concretizou: falar sem falar expressamente, tratar de outras coisas para tratar do Brasil. Esta outra dimensão de trabalho é um reflexo também da impossibilidade de falar sobre o país, num momento onde as coisas ainda estão acontecendo, numa velocidade muito grande”, destaca Abreu.

Circulação

O ‘Projeto Brasil’ nasceu da inserção do grupo na seleção pública de Manutenção de Companhias de Teatro da Petrobras, que concede patrocínio por três anos para pesquisa, montagem e circulação. “No primeiro ano, fizemos uma circulação com as cinco peças do nosso repertório pelas cinco regiões do Brasil”, comenta Marcio Abreu. Nesse período, dedicaram-se à troca de informações com artistas e anônimos, plateias e transeuntes.

Marcio Abreu e a companhia vêm de grandes sucessos no Brasil e no exterior como ‘Vida’ (2010), ‘Esta Criança’ (2012) e o celebrado ‘Krum’ (2015). Com essa nova montagem, delineiam-se novos rumos, de recriação da sua dramaturgia já muito particular, desde os ensaios até a montagem, afirmando-se em um novo desafio de linguagem.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir