Sem categoria

Comissão vai investigar vereadores de Parintins

Foram eleitos os vereadores Ernesto de Jesus (PEN), presidente; Gelson Morais (PSD), relator; e Rildo Maia (PMDB), membro - foto: Tadeu de Souza

Foram eleitos os vereadores Ernesto de Jesus (PEN), presidente; Gelson Morais (PSD), relator; e Rildo Maia (PMDB), membro – foto: Tadeu de Souza

Parintins (AM) – Por unanimidade, a Câmara Municipal de Parintins (distante 369 quilômetros de Manaus) acatou na tarde de ontem uma representação/denúncia contra os vereadores Everaldo Batista (Pros) e Ray Cardoso (PMDB) e instalou ontem mesmo uma Comissão Processante, formada por três membros da casa, para apurar se os dois incorreram em quebra de decoro parlamentar.

O autor da denúncia é o senhor Dietrich Esmaile Teixeira Mendes, que na representação pede que “após parecer da Comissão Processante, se verificada a quebra do decoro, os vereadores tenham seus mandatos cassados”.

A presidente interina da Câmara Municipal, Karine Brito (PHS), determinou a leitura da denúncia e submeteu à votação no plenário Raimundo Almada.

O vereador Rildo Maia (PMDB) ainda esboçou uma reação favorável aos dois colegas, argumentando que não havia necessidade da Câmara acatar a denúncia de Dietrich, uma vez que os vereadores, embora afastados de suas funções por determinação judicial, ainda não foram julgados.

O vereador Nelson Campos (PRTB) contestou o colega dizendo que essa condição não impedia o plenário de acatar a denúncia. Em votação, o documento foi acatado por unanimidade e em seguida a presidente Karine Brito, escolheu os integrantes da Comissão Processante.

Foram eleitos os vereadores Ernesto de Jesus (PEN), presidente; Gelson Morais (PSD), relator; e Rildo Maia (PMDB), membro.  O EM TEMPO manteve contato com o advogado Fábio Cardoso, que atua na defesa do vereador Ray Cardoso. Ele disse que não podia se pronunciar porque não havia sido ainda citado pela Câmara municipal.

‘Inocente’

O presidente afastado da Câmara, Everaldo Batista, disse que via a representação com normalidade e ao ser ouvido ele terá oportunidade de mostrar que é inocente e que não teve nenhuma participação no episódio da suposta venda de gasolina pelo seu colega.

Os vereadores Everaldo Batista e Ray Cardoso foram afastados em 22 de março por decisão do juiz Fábio Olinto de Souza, depois que o Ministério Público do Estado denunciou os dois pelos crimes de peculato, falsidade ideológica e estelionato.

A denúncia contra os dois vereadores foi assinada pelos promotores Flávio Mota, Carolina Monteiro e Yara Rebeca Marinho.

A desembargadora Carla Reis negou recurso de Everaldo para retornar à Câmara de Parintins.

Por Tadeu de Souza

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir