Sem categoria

Comerciantes vão iniciar rodadas de negociações

Foto: Alberto César Araújo

Foto: Alberto César Araújo

Após a aprovação da campanha salarial dos empregados do comércio de Manaus, em uma assembleia geral realizada no dia 10 de junho, o sindicato da categoria inicia os trâmites legais para dar o ponta-pé nas rodadas de negociações com os sindicatos patronais do varejo e atacado, que ainda está sem data definida. A data-base do comércio é 1º de setembro.


De acordo com o Sindicato dos Empregados do Comércio de Manaus, este ano a classe pede um reajuste salarial de pouco mais de 15%, promovendo, assim, o aumento do piso, que atualmente é de R$ 830 para R$ 960.
Além dessa pauta, outro ponto que será discutido entre os sindicatos que representam os trabalhadores e as empresas do comércio da capital é a correção do salário dos trabalhadores que ganham acima do piso salarial. Segundo a entidade, essa pauta pede um ajuste de 15% nos ganhos dos colaboradores. Sobre o vale-alimentação, o sindicato afirmou que os comerciários aprovaram um aumento de 25%.
A entidade destacou, ainda, que a proposta contendo todas as pautas da campanha salarial de 2015 já foi envidada para a Federação do Comércio do Amazonas (Fecomércio-AM), que será o mediador nas negociações entre as partes. O órgão informou, ainda, que as pautas já foram aprovadas e enviadas à Fecomércio. Agora, estão apenas no aguardo da confirmação da data de início das rodadas de negociaçãoes. Os comerciários esperam que os sindicatos firmem um acordo justo e que seja viável para todos”, finalizou a entidade.
A Federação do Comércio do Amazonas informou, em nota, que a proposta dos comerciários já foi recebida e  encaminhada aos sindicatos patronais. A entidade informou, ainda, que as reuniões deverão acontecer em agosto, quando as empresas apresentarão as contrapropostas.
Setor teve queda
O segmento de serviços registrou queda de 8,6% no mês de maio. O resultado é um dos piores registrados, conforme Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada ontem (16), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Para o disseminador de informação do IBGE-AM, Adjalma Nogueira, o setor de serviços está diretamente ligado às atividades da indústria e do comércio. “Estes dois segmentos não têm apresentado o crescimento esperado. Portanto, esse resultado reflete diretamente no desempenho dos serviços, que não consegue obter um bom retorno”, salientou.

Por Gerson Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir