Sem categoria

Comerciante é assassinado por dupla de assaltantes na Zona Norte

A vítima ainda foi levada ao HPS Platão Araújo, mas não resistiu aos ferimentos e morreu minutos depois - foto: divulgação

A vítima ainda foi levada ao HPS Platão Araújo, mas não resistiu aos ferimentos e morreu minutos depois – foto: divulgação

Dois homens armados invadiram o material de construção Líder, anunciaram o assalto e alvejaram o comerciante Odair Nepomuceno da Silva, 48, com um tiro na barriga. O crime aconteceu na rua Francisca Mendes, bairro Cidade de Deus, Zona Norte, por volta de 15h deste sábado (4).

A vítima ainda foi levada ao Hospital e Pronto Socorro Platão Araújo, localizado na Zona Leste, mas não resistiu aos ferimentos e morreu minutos depois. Conforme testemunhas, Odair não reagiu ao assalto. Na fuga, os assaltantes roubaram o notebook e celular do comerciante.

De acordo com o funcionário do estabelecimento comercial, Reinaldo Costa, 31, os suspeitos chegaram em uma motocicleta modelo CB 300, cor vermelha, de placa não identificada. “Um dos homens estava armado e ordenou que Odair lhe entregasse todo o dinheiro. Depois que eles pediram o dinheiro, não deixaram nem o meu patrão levantar e atiraram quando ele estava sentado em uma cadeira”, relatou.

Após os disparos, os assaltantes roubaram os objetos e chegaram a procurar dinheiro no caixa, mas não obtiveram sucesso e fugiram do local.

Ainda segundo o funcionário, após ver Odair baleado, o filho dele identificado como Darlan Nepomuceno, 26, saiu correndo atrás dos suspeitos e jogou um saco de pregos e pedaços de tijolo nos criminosos. Em seguida, um dos assaltantes atirou três vezes, mas nenhum tiro atingiu Darlan. “Eles só não atiraram mais porque a munição acabou e eles fugiram na moto”, afirmou Reinaldo.

A Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd) trabalha com a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte). Câmeras de segurança do material de construção flagraram o crime e as imagens vão ser analisadas para identificar os suspeitos. Até o fechamento desta edição, ninguém foi preso.

Por Ana Sena

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir