Dia a dia

Começa campanha de imunização de animais em Manaus; meta é atender 218 mil

A vacina é gratuita e após a imunização o dono do animal recebe um certificado - foto: Ione Moreno

A vacina é gratuita e após a imunização o dono do animal recebe um certificado – foto: Ione Moreno

Iniciada na manhã desta segunda-feira (12), A 37º campanha anual de imunização antirrábica deve vacinar 218 mil animais em Manaus, sendo 164 mil cães e 54 mil gatos. Na zona rural do município, o processo de imunização, que já finalizado, conseguiu alcançar a meta de 12 mil animais vacinados.

A abertura na campanha aconteceu no Instituto Federal do Amazonas (Ifam), Zona Leste e contou com a presença do secretário municipal de Saúde, Homero Miranda. Ele destacou a importância de imunizar os animais para manter o Amazonas livre das doenças transmitidas por cães e gatos, o que já dura 37 anos.

Participam da ação cerca de 220 vacinadores, que vão atuar simultaneamente em todas as zonas da cidade nos próximos trinta dias.

“A campanha será de casa em casa. Nós iremos fazer a visita durante um mês. Manaus já teve no final dos anos 70 e no início dos anos 80, epidemia de raiva humana. Esse cenário ainda existe em algumas cidades do Brasil, mas nós não queremos que volte para o Amazonas. O sucesso disso, é justamente a repetição da vacinação feita durante esses 37 anos”, frisou.

Segundo o secretário, a vacina é gratuita e após a imunização o dono do animal recebe um certificado. Ele disse ainda que, se por ventura, a residência estiver fechada na hora que o vacinador passar, o morador pode procurar os distritos de saúde da sua zona ou o Centro de Zoonose, localizado no bairro Compensa, Zona Oeste, para vacinar seu cachorro ou gato.

Em relação aos animais abandonados, Homero ressaltou que muitos vivem nas ruas, porém tem donos. Já em outros casos, o órgão trabalha com uma margem de segurança, que é calculado pela equipe de vacinadores. Homero disse que animais sem donos, e que não recebem a imunização, não apresentam perigo, levando em consideração ue não há cães e gatos doentes na cidade, eliminando qualquer risco de contaminação da doença em outros animais e muito menos em pessoas.

A professora aposentada, Maria das Graças Soares, declarou que não abre mão da imunização do seu cão e do seu gato. Primeira a chegar no Ifam, nesta segunda-feira, a dona dos animais salientou que todos os anos procura os distritos de saúde para manter em dia a imunização de seus filhos de pelos.

“A vacina é importante para a saúde deles e para nossa também. Temos que evitar essas doenças que são propícias dos animas”, finalizou.

Por Gerson Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir