Sem categoria

Comandante geral da PM visita redação do Em Tempo

Gilberto Gouvêa destacou os projetos sociais da corporação, e que está trabalhando para apresentar uma tropa mais humanizada à população - foto: Diego Janatã

Gilberto Gouvêa destacou os projetos sociais da corporação, e que está trabalhando para apresentar uma tropa mais humanizada à população – foto: Diego Janatã

Em visita institucional à redação do Amazonas Em Tempo, nesta quinta-feira (2), o comandante geral da Polícia Militar do Amazonas, coronel Gilberto Gouvêa destacou os projetos sociais da corporação, e que está trabalhando para apresentar uma tropa mais humanizada à população.

Em conversa com os membros do Conselho Editorial do Grupo Raman Neves de Comunicação, João Bosco Araújo, Sandro Breval e Abdul Hauache, coronel Gouvêa informou que entre os programas da Polícia Militar, o que tem o maior alcance, é o Proerd, um projeto de resistência às drogas, no qual mais de 500 mil crianças e adolescentes já foram alcançadas. “O Proerd apresenta argumentos à criança e ao adolescente a dizer não aos convites para o consumo de drogas em geral e a violência”, disse.

Outros projetos destacados por ele foram o Vitória Régia – que já atingiu mais de 4 mil crianças e adolescentes, para que sejam os protetores do meio ambiente -, e o Santa Bola, uma escolhinha de futebol no residencial Viver Melhor. O programa, atende crianças de 8 a 16 anos e atualmente conta com 1,5 mil participantes.

“Dessa forma, mostramos para a comunidade um lado da Polícia Militar que as pessoas não conhecem. Nosso projeto, não muda apenas a criança e adolescente beneficiado, mas o próprio policial militar que passa a ter um olhar mais humanizado sobre a comunidade”, destacou.

Atitudes consideradas esdrúxulas por parte de alguns policiais militares, como a tortura de jovens na comunidade Jesus me Deu, ocorrida em maio é um assunto superado, segundo o comandante geral da PM. Segundo ele, a PM adotou todos os procedimentos necessários e o processo está nas mãos da Justiça. “Esse assunto já está superado pela Polícia Militar e agora segue na Justiça”, pontuou.

Sobre o caso da soldado Deusiane Pinheiro, Gouvêa informou que houve um inquérito de investigação e que ainda estão aguardando laudos de exames periciais. Ele destacou que houve reconstituição dos fatos e que o caso também já foi encaminhado à Justiça.

“A partir da chegada desses laudos, o Ministério Público vai ter condições de entender perfeitamente o que aconteceu e oferecer ou não a denúncia. O fato é que a PM, também adotou todas as providências de polícia judiciária militar que poderiam ser tomadas”, ressaltou.

Sobre a Associação dos Praças do Estado do Amazonas (Apeam), que várias vezes ameaçou deflagrar greve na PM, o comandante geral alegou que a corporação adotou as medidas necessárias e que também já é um assunto superado. “Quando esse procedimento se encerrar, aí vai se estudar as medidas disciplinares e judiciais a serem tomadas. O fato é que alguns policias militares não entenderam a proposta do governador do Estado (José Melo), que foi aceita pelos servidores da educação, da saúde, entre outras, áreas de voltar a conversar com o governador em setembro”, pontuou, .

 

Por Equipe Jornal EM TEMPO

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir