Esportes

‘Com vigor de 21 anos’, Dracena quer ser campeão mundial pelo Palmeiras

" É como se fosse o primeiro contrato que assinei. Eu me sinto muito bem", disse o zagueiro

” É como se fosse o primeiro contrato que assinei. Eu me sinto muito bem”, disse o zagueiro

O Palmeiras apresentou nesta quarta-feira (6) o zagueiro Edu Dracena, 33 –ele fará 34 em maio–, um dos sete reforços contratados pelo clube até o momento para a temporada 2016.

Em coletiva de imprensa no centro de treinamento da equipe, o jogador foi firme em suas declarações, disse que tem como objetivo ser campeão mundial pelo Palmeiras –o único título que não conseguiu em sua carreira dentre aqueles que disputou– e que se inspira em Zé Roberto, 41, para provar que os jogadores considerados mais velhos ainda podem ter bom rendimento.

“Estou muito contente, muito feliz. É como se fosse o primeiro contrato que assinei. Eu me sinto muito bem, temos jogadores no elenco como Zé Roberto, que é um exemplo. Eu me preparei muito para que esse dia pudesse chegar [de jogar com 33 anos]. Ainda tenho lenha para queimar. É importante para nós que temos essa idade quebrar o paradigma no Brasil de que se você tem mais de 30 anos você é velho. Tenho 34 com físico e cabeça de 21”, disse.

“Espero não quebrar a escrita de ter sido campeão por todos os times pelos quais passei. Meu único título que falta é ser campeão mundial, então espero ser com o Palmeiras. Eu chego para fazer história nos clubes que passo”, completou.

Ele ainda refutou qualquer problema por ter se transferido diretamente do rival Corinthians para o Palmeiras.
“Não pode atrapalhar, não. Posso não ter sido titular no Corinthians, mas sempre que joguei eu fui importante. E, no Palmeiras, vou me dedicar em cada treinamento, em cada jogo, para mostrar o meu trabalho”.

Ele ainda fez uma média com seus novos torcedores, valorizando o Allianz Parque.

“Quando estava no Corinthians, tivemos uma dificuldade muito grande em jogar lá. No ano passado, a torcida jogou junto com o time no Allianz Parque e, neste ano, não vai ser diferente”, projetou.

Dracena ainda arriscou uma análise do grupo do Palmeiras na Libertadores, composto por Rosario Central (ARG), Nacional (URU) e o vencedor de confronto entre Universidad do Chile e River Plate (URU), e considerado difícil.

“Quando você consegue passar de fase em um grupo tão forte, os adversários passam a te olhar com mais respeito que o normal”.

Na apresentação, ele recebeu a camisa 3 do vice-presidente do Palmeiras, Genaro Marino Neto, que ressaltou que o zagueiro foi campeão por todos os times pelos quais passou e repetiu o bordão do presidente Paulo Nobre, pedindo que Dracena honre a camisa do clube.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir