Esportes

Com saltos inéditos, ginástica do Brasil se prepara para passar à final por equipes

Confiança é a palavra mais ouvida na boca das ginastas brasileiras que fizeram na tarde desta quinta (4) o chamado treino de pódio, onde as séries que serão apresentadas no sábado são exibidas pela primeira vez aos árbitros. A partir delas, as notas do evento oficial são calibradas.

O treino contou com a audiência da ex-ginasta Laís Souza, que sofreu um acidente em janeiro de 2014 quando esquiava e hoje não consegue mais caminhar. “Eu me esforço para dar forças para as meninas mais novas, mas também preciso de carinho. A importância dela é importante”, conta Jade Barbosa, uma das atletas experientes do time feminino brasileiro, que vai para sua segunda Olimpíada.

Ela é a única do time que tem um apoio psicológico individual, por decisão dela.

Enquanto Daniele Hipólito, a mais experiente de todas, vai para sua quinta.

“Faço o possível para manter elas [as mais novas] calmas”, conta Daniele. “Claro que nós temos adrenalina e nervos para competir. Mas precisamos de calma”.

Do lado das mais novas, está Flávia Saraiva, que estreia em jogos olímpicos. Ela pode ser uma das surpresas na Arena Olímpica do Rio na prova da trave.

A também estreante Rebeca Andrade tem até uma novidade para apresentar ao público e aos árbitros. É um salto novo que ela testou no treino pódio. Se a federação internacional homologar a novidade, desde que ela seja apresentada em um evento oficial, a ginástica poderá ter o movimento “Andrade”. É um mortal com uma pirueta e meia que, segundo a brasileira, nunca ninguém fez.

“Estou muito confiante. Vou apresentar isso na Olimpíada. Para continuar seguindo a tradição do Brasil de colocar nome nos movimentos, como ocorreu com a Daiane, Diego [Hipolito] a Dani [Hipolito]. Com isso, eu me sinto uma pessoa grande”, afirmou Rebeca, logo depois do treino de pódio.

Faz partes da ginástica novos movimentos serem apresentados a cada competição importante. Nesta quarta (3), durante o treino masculino, cinco novos movimentos foram apresentados. Eles também precisam ser repetidos na competição oficial para serem homologados, ou não, pela Federação Internacional. O manual da ginástica, com centenas de páginas, tem o desenho de cada movimento.

O primeiro grande objetivo do Brasil na Olimpíada é passar para a final por equipes dos Jogos. E por isso a palavra confiança está sendo tão repetida pelas ginastas. Para isso, o time precisa ficar entre os oito primeiro colocados. Em Londres 2012, a seleção ficou 12º, entre 12 seleções.

No domingo, Flávia Saraiva, Jade Barbosa e Rebeca Andrade competem pelo individual geral. Daniele Hypolito fará trave e solo. Lorrane Oliveira estará no salto e nas paralelas.

A equipe bastante favorita para subir ao lugar mais alto do pódio é a americana. No treino de pódio desta quinta-feira (4), o time que tem Simone Biles como sua grande atração, também cotada para ser a atleta mais completa da Rio 2016, fez um treino de pódio bastante sólido. Principalmente no solo e no salto.

Todo o time de ginástica da Rússia, no masculino e no feminino, estão liberados para competir no Rio.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir