Política

Com Pezão em tratamento, Francisco Dornelles assume governo do Rio

Aos 81 anos, Dornelles ocupará o cargo de governador interino, em princípio, por 30 dias, enquanto dura a licença médica de Pezão - foto: reprodução

Aos 81 anos, Dornelles ocupará o cargo de governador interino, em princípio, por 30 dias, enquanto dura a licença médica de Pezão – foto: reprodução

O vice-governador do Rio de Janeiro, Francisco Dornelles (PP), assumiu nesta segunda-feira (28) o posto de Luiz Fernando Pezão (PMDB), que se licencia do governo em razão do tratamento de um linfoma, diagnosticado na semana passada.

Aos 81 anos, Dornelles ocupará o cargo de governador interino, em princípio, por 30 dias, enquanto dura a licença médica de Pezão.

Pezão afirmou, por meio de nota, que mesmo durante a licença vai continuar cuidando dos assuntos de governo com Dornelles e seus secretários.

“Vou manter essa dinâmica, trocando mensagens ou me reunindo pessoalmente, quando necessário. Nada muda no governo. Vamos seguir dialogando com a população e com o funcionalismo de maneira incondicional, buscando os melhores caminhos para fazer essa travessia”, diz o texto.

O Estado do Rio vive grave crise financeira, que Pezão tentava superar antes de ser diagnosticado com a doença. Por causa da queda da arrecadação, o Estado não consegue pagar fornecedores nem quitar os salários dos funcionários públicos.

Durante a posse, Dornelles afirmou que vai seguir os passos do governador licenciado na tentativa de contornar os problemas financeiros.

“Pezão é um gestor pautado pelo diálogo e tem feito dessa virtude uma excepcional aliada, nos mais diferentes fóruns, em busca de alternativas para fazer o Estado avançar em meio a essa terrível crise econômica do país”, disse Dorneles. “Assumo o governo do Estado imbuído desse espírito, reforçando cada uma das diretrizes do Pezão.”

No último domingo (27), Pezão encerrou a primeira etapa de quimioterapia para combater o linfoma não-Hodgkin que atingiu duas vértebras de sua coluna.

Ele está internado no hospital Pró-Cardíaco, na zona sul do Rio, mas deve receber alta nos próximos dias. A expectativa é que o tratamento dure por oito meses, nos quais ele terá de passar por seis a oito ciclos de quimioterapia.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir