Sem categoria

Com exceção do Basa, greve dos bancários chega ao fim no Amazonas

Com a conquista, a categoria retorna amanhã (27), as atividades em horário normal  – foto: Ione Moreno

Com a conquista, a categoria retorna amanhã (27), as atividades em horário normal – foto: Ione Moreno

Com exceção do Banco da Amazônia (Basa), os bancários retornam as atividades, nesta terça-feira (26), após 21 dias de greve, nas demais agências dos bancos públicos e privados. O atendimento ao público será em horário normal, das 9h às 15h. Em Manaus, 85 das 128 agências fecharam as portas aderindo a movimentação nacional. No Basa, os funcionários farão uma assembleia  amanhã (27) para deliberar sobre o fim da paralisação.

O Comando Nacional dos Bancários aceitou a proposta de 10% de reajuste salarial apresentada no último sábado (24) pela Federação Nacional dos Bancários (Fenaban). Os bancários reivindicavam 15%. No início das negociações, a primeira proposta feita pela federação foi de 5,5%, seguida de 7,5% na terça-feira (20). Já a terceira atingiu 8,75% de aumento salarial, apresentada na noite da última quinta-feira (22).

Em assembleia, em Manaus, os bancários aceitaram o novo índice. “O reajuste de 10% é onde deu para chegar. Quem estava na mesa de negociação nos orientou que não deu para passar deste valor. O Comando Nacional nos deu a orientação de aceitar, mas as assembleias são soberanas, elas decidem”, afirmou o presidente do Sindicato dos Bancários do Amazonas, Nindbergue Barbosa.

Além do reajuste de 10%, a categoria conquistou também 10% na Participação nos Lucros e Resultado (PLR) e 14% sobre a cesta básica e o ticket. “O resultado consequência da força, foi um avanço significativo. No início eles propuseram 5,5% e chegamos a 10% pela luta. Sem a luta não iriamos conseguir o aumento, porque a negociação tinha emperrado”, afirmou Barbosa.

Com a conquista, a categoria retorna hoje (27), as atividades em horário normal. Ainda não se sabe se será estendido o atendimento ou se irão aumentar o número de atendentes nas unidades para melhor atender a demanda. “Não temos como exigir atendimento estendido ou mais pessoas, quem definirá isto é a gestão. Retornamos amanhã (hoje, 27) as atividades normais, com exceção do Banco da Amazônia, porque os bancários vão realizar uma reunião na terça-feira (27) em Belém, onde fica a matriz do banco ”, apontou Barbosa.

Das 128 agências da capital, 85 interromperam o atendimento durante os 21 dias de greve. Foram 1.900, dos 3.500 bancários que abraçaram o movimento. Doze municípios do interior também apoiaram a paralização, que foram Humaitá, Parintins, Maués, Itacoatiara, Rio Preto da Eva, Iranduba, Manacapuru, Presidente Figueiredo, Coari, Tefé, Carauari e São Gabriel da Cachoeira.

A categoria reivindicou aumento de 15% em cima do salário base, sendo 9.88% referente a inflação de setembro de 2014 a agosto de2015. Além de 5% de ganho real. Também foram reclamados o fim das metas abusivas, a contratação de mais funcionários e mais segurança para clientes e bancários nas agências.

Sobre a contratação de novos funcionários, o presidente informou que a categoria já planeja entrar na justiça, caso até 31 de dezembro a Caixa Econômica não convoque 2 mil concursados para assumirem seus postos em todo Brasil.

Por Ive Rylo

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir