Esportes

Com arrecadação abaixo das despesas, Arena da Amazônia pode ser alugada para ensaios fotográficos

A renda arrecadada está sendo utilizada para auxiliar na manutenção do estádio- foto: Ricardo Oliveira

A renda arrecadada está sendo utilizada para auxiliar na manutenção do estádio- foto: Ricardo Oliveira

O local já foi palco de Copa do Mundo e agora pode compor o cenário para ensaios fotográficos de casamentos, noivados, aniversários… Os fãs de futebol que desejarem ter a Arena da Amazônia Vivaldo Lima como parte integrante de seu book já têm essa possibilidade. A Fundação Vila Olímpica (FVO), responsável pela administração da praça esportiva, publicou portaria no Diário Oficial do Estado, estabelecendo o valor de R$ 400 para quem quiser usar o local.

A renda arrecadada está sendo utilizada para auxiliar na manutenção do estádio, avaliada em R$ 600 mil mensais, e que vem sendo custeada pelo governo do Estado.

De acordo com o diretor- presidente da FVO, Aly Almeida, foi realizada uma pesquisa para se estimar o valor a ser cobrado nos ensaios fotográficos. Ele explicou que Manaus é o local com a tarifa mais em conta do Brasil. “A procura por um ensaio fotográfico é a maior que temos pela Arena hoje”, revelou.

Almeida explicou ainda que nas demais arenas do país, o valor pago pelos fotógrafos dá direito de permanecer somente por duas horas e não podem pisar no gramado. Já na Arena da Amazônia não é feita esta restrição. “Fizemos uma pesquisa nas arenas do Brasil. Todas elas cobram. A nossa arena é a mais barata, cobra apenas uma taxa de R$ 400. O Maracanã cobra R$ 3 mil, o Mineirão R$ 790 para um ensaio de duas horas. O fotógrafo é um profissional. Os books custam em média R$ 2,5 mil. Então, porque a Arena tem que sair de graça se ele está ganhando? Os ensaios fotográficos não são filantrópicos”, ressaltou.

Desde a construção em 2014, com exceção dos jogos da Copa do Mundo, o estádio já recebeu 30 eventos. De segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, o local é aberto para visitação gratuita de escolas públicas. Já para as visitas guiadas a turistas e público em geral, é cobrada uma taxa de R$ 10.

“Tudo ajuda na manutenção. A Arena tem dificuldades de trazer os jogos para cá. As despesas com uma série A são caríssimas para vir para Manaus. Para qualquer outro lugar, (os times) cobram, no máximo, R$ 500 mil. Em Manaus é acima de R$ 1 milhão”, afirmou.

Contudo, o aluguel do espaço com jogos e eventos ainda não arca com os valores de manutenção. “Não está dando e não vai dar. Essa pergunta não tem que existir mais. Se o Maracanã está no vermelho, o Mineirão está no vermelho, porque nós não estaríamos? Onde está o futebol brasileiro? Em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. O futebol brasileiro está no Amazonas? Já esteve? Não. Antes da Copa, o futebol amazonense já estava no buraco da Série D”, falou, irritado.

Ele defendeu ainda que cabe aos clubes e à federação local fomentar o futebol. “Onde as federações treinam? Aqui dentro. Quanto eles pagam? Zero. Quem faz a manutenção das instalações que as federações usam? A gente faz tudo. Para eles existirem damos toda condição. Essa é a obrigação da FVO. A obrigação da FVO não é colocar gente na arena, não é fazer contrato com a arena. Não somos empresa de eventos. A FVO é fundação do governo. Quem tem que fazer isso é o empresário, quem traz jogo é o empresário”, finalizou.

Por Ive Rylo

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir