Mundo

Colisão de dois trens deixa ao menos 22 mortos no sul da Itália

Mais de 45 pessoas ficaram feridas - foto: reprodução

Mais de 45 pessoas ficaram feridas – foto: reprodução

Um acidente envolvendo dois trens na região da Puglia, no sul na Itália, deixou pelo menos 22 mortos e 45 feridos, dentre eles quatro em estado grave. A informação foi confirmada pelo governo regional de Andria, onde o acidente ocorreu.

Segundo Giuseppe Corrado, vice-presidente da província de Andria, é possível que o número de mortos seja ainda maior, já que a operação de resgate continua buscando vítimas no local do acidente.

A colisão entre os dois veículos aconteceu em uma ferrovia na região entre as cidades de Corato e Andria, segundo a polícia. Os dois trens bateram de frente, de forma violenta.

Informações iniciais indicam que cada um dos trens era formado por quatro vagões. Imagens aéreas mostram a destruição deixada pelo choque, onde apenas dois vagões aparecem inteiros em cada composição.

Imagens divulgadas pelos bombeiros mostram vagões danificados e amassados pela força do impacto, com destroços espalhados pelas oliveiras que cercavam ambos os lados dos trilhos.

“Estamos trabalhando com dezenas de equipes de resgate para abrir os vagões”, disse o porta-voz dos bombeiros Luca Cari, acrescentando que uma criança foi salva nos destroços.

Segundo o chefe da polícia, Riccardo Zingaro, o desastre foi tão grande que muitos dos membros da equipe de resgate ficaram surpresos.

“É um desastre como se um avião tivesse caído, disse o prefeito do local, Massimo Mazzilli.

O resgate de vítimas ocorre em uma região de difícil acesso a carros. “O resgate é complicado porque isso aconteceu no meio de uma zona rural”, disse Cari.

O premiê italiano, Matteo Renzi, dava uma entrevista quando soube do caso. Ele chamou o acidente de um “momento de lágrimas” e prometeu investigar as causas do choque entre os comboios. “Não vamos parar até termos uma explicação clara sobre o que aconteceu”, disse, durante visita a Milão.

Os trens eram operados pela empresa privada Ferrotramviaria, que conecta a cidade de Bari a outras cidades da região.

Em uma entrevista a uma rede de TV, o diretor geral da empresa, Massimo Nitti, disse que ainda não se sabe o que houve de errado. “Um dos trens não deveria estar ali”, disse.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir