Esportes

COI dobra orçamento de antidoping para proteger ‘atletas limpos’ na Rio-2016

O conselho executivo do Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou nesta quarta-feira (1º) que irá dobrar o orçamento para testes antidoping no período pré-olímpico, com foco especial em Rússia, Quênia e México –países com problemas em seus programas antidoping– e em esportes com mais casos. O objetivo, segundo o órgão, é proteger os atletas limpos que disputarão os Jogos Olímpicos deste ano.

“Estamos tomando medidas decisivas para proteger os atletas limpos nos Jogos Olímpicos do Rio-2016. O COI não hesitará em punir qualquer pessoa que esteja a seu alcance e que seja responsável por usar ou prover produtos e métodos de doping”, afirmou o conselho em comunicado.

O órgão ainda anunciou a ampliação do projeto de reanálise dos exames antidoping dos Jogos de Pequim-2008 e Londres-2012, priorizando testes de medalhistas, e afirmou que a Comissão Disciplinar do COI está trabalhando com as federações internacionais para a rápida punição de atletas pegos no doping e que poderiam competir na Rio-2016.

Nas reanálises feitas até agora, foram flagrados 23 atletas dopados em Londres-2012 e 31 em Pequim-2008. No total, foram analisadas 265 amostras dos Jogos do Reino Unido e outras 454 da Olimpíada chinesa.

Além disso, o COI prometeu avaliar e revisar todo o programa antidoping e as medidas tomadas para a Olimpíada do Rio com o objetivo de tornar o sistema de testes mais independente visando os Jogos de Inverno de PyeongChang, na Coreia do Sul, em 2018.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir