Economia

CNC diz que desempenho do comércio no PIB não surpreendeu

A Confederação Nacional do Comércio (CNC) considerou hoje (29) que a queda de 0,4% do comércio no Produto Interno Bruto (PIB), na comparação do primeiro trimestre deste ano com o trimestre anterior, “não surpreendeu”. Por meio de nota divulgada à imprensa, a CNC informou que as vendas do comércio tinham caído 4% nesse período.

De acordo com a confederação, a expectativa de elevação da taxa básica de juros (Selic) pelo Banco Central, que deverá chegar a 13,75% ao ano até o final de 2015, “não permitirá a reversão do atual cenário de contração da economia e do consumo final das famílias até dezembro”. A CNC espera que a economia recue 1,3% e o consumo das famílias caia 0,6% neste ano.

Apesar disso, o órgão acredita que a percepção de que a trajetória da inflação entrará em declínio poderá permitir “alguma recuperação” do PIB a partir do segundo semestre.

A Federação do Comércio do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) avaliou, também por meio de nota, que o recuo da economia já era esperado e a tendência é que ele se acentue no segundo trimestre.

A entidade, que representa os empresários de comércio do estado do Rio de Janeiro, defende uma “agenda econômica que reverta esse ciclo, incentive o investimento, reduza o peso dos impostos, aprimore a gestão das contas públicas e a estabilidade monetária”.

A nota acrescenta: “As ações por ora nesse sentido não são causas do desempenho do PIB neste ano, mas antídoto às verdadeiras – gestadas nos quatro anos anteriores”.

 

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir