Esportes

Clube analisa contrato de Lugano, e agente não vê entrave para retorno

Diego Lugano

A informação vem do agente do jogador, Juan Figer, e é confirmada pelo presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva. foto: divulgação.

Depois de ver o novo técnico Edgardo Bauza pedir uma conversa ‘cara a cara’ com Diego Lugano, o São Paulo continua a análise sobre a possibilidade de contratar o zagueiro uruguaio para 2016. Já houve um avanço em relação à primeira etapa: neste momento, o São Paulo já tem em mãos o contrato do jogador com o Cerro Porteño, do Paraguai, e estuda se há viabilidade de contratá-lo sem precisar fazer grande investimento.

A informação vem do agente do jogador, Juan Figer, e é confirmada pelo presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva.

“Estamos aguardando uma posição do São Paulo. Já está entregue o contrato do Diego ao nosso departamento jurídico, que está em contato com o departamento jurídico do São Paulo, para que a situação seja resolvida de acordo com o contrato’, disse Figer, à reportagem.

O presidente Leco confirma que a análise agora é não só técnica, mas jurídica, e tem como objetivo saber se há cláusulas contratuais que facilitam a saída do zagueiro do clube paraguaio.

“É verdade. O desejo do São Paulo está na linha direta da possibilidade de fazer uma contratação que seja proveitosa tanto no aspecto técnico como financeiro. Estamos analisando, não estamos indiferentes, mas não há nada em termos conclusivos. Quem está capitaneando isso é nosso jurídico, estamos analisando e o Gustavo [Vieira de Oliveira, diretor executivo de futebol] está fazendo as avaliações”, disse Leco.

Há poucos dias a diretoria do Cerro Porteño afirmou que não irá liberar Lugano e informou que o jogador tem contrato até o meio de 2017. “Ele fica no Cerro”, disse o presidente Juan José Zapag. Segundo o agente Juan Figer, no entanto, o vínculo com o clube é válido apenas até o meio de 2016 e não exige grande investimento do São Paulo para que seja rompido.

‘Termina em agosto de 2016. O contrato é confidencial, então não posso falar detalhes. O jogador não custou nada ao Cerro, o contrato tem algumas cláusulas que eu não posso comentar. Nós entendemos que não [há entrave para sair]’, diz Figer.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir