Sem categoria

Clássico carioca decide Taça Guanabara na Arena da Amazônia

Fluminense e Vasco, líder e vice-líder, duelam em Manaus para saber quem será o campeão do segundo turno – foto: divulgação

Fluminense e Vasco, líder e vice-líder, duelam em Manaus para saber quem será o campeão do segundo turno – foto: divulgação

Com 14 pontos na tabela, Fluminense e Vasco decidem, neste domingo (17), o título da Taça Guanabara – o segundo turno do Campeonato Carioca – na Arena da Amazônia Vivaldo Lima, às 15h (de Manaus). Apesar do empate na pontuação com o Cruz-Maltino, o Tricolor das Laranjeiras lidera a segunda fase da competição por levar vantagem no saldo de gols e, por isso, pode até empatar para garantir o troféu.

Expectativa e aflição. Esses foram os sentimentos que tomaram conta dos torcedores do Fluminense durante esta semana. A polêmica evolvendo o atacante Fred e o técnico da equipe, Levir Culpi, tomou conta dos noticiários esportivos. No final, porém, tudo acabou bem e nação tricolor pôde comemorar, na última quinta-feira (14), o “fico” do camisa 9 nas Laranjeiras.

“Volto mais forte. O trabalho está sendo perfeito. Sabemos que uma hora pode ter derrota. Podemos conquistar títulos, é só lutar para pegar, tem dois aí na mesa. Temos mais sete meses de campeonato duro. O que a gente tem que fazer agora é limpar as mágoas, tirar o rancor e dar a mão um para o outro. Eles sabem que posso ser importante para eles. Todas as vezes que o clube me deu a mão, isso deu certo. E quero agradecer ao clube por me dar mais uma vez. O time está bem, o Levir está fazendo um grande trabalho. E tenho certeza que daí vão sair gols e títulos”, disse o capitão tricolor em coletiva na quinta.

Numa sequência de 11 jogos sem derrotas, o Fluminense reencontrou o bom futebol desde que Levir assumiu a equipe. Sob o comando do experiente técnico, o Tricolor das Laranjeiras ainda não perdeu e acumula seis vitórias e três empates, em partidas válidas pelo Campeonato Carioca e Primeira Liga. Neste domingo, basta manter a invencibilidade para ficar com o título da Taça Guanabara.

“Vamos jogar para vencer. Quem joga pelo empate, perde. Tem de ser para vencer. Respeitamos o Vasco, mas faremos o possível para ser campeão. Jogo decisivo sempre é importante. Pode colocar o nome na história do clube. É prazeroso. Vamos tentar conquistar os títulos, sempre respeitando os adversários”, disse o volante Edson, sem esquecer da decisão da Primeira Liga, em que o Fluminense encara o Atlético-PR, na quarta-feira (20), em Juiz de Fora (MG).

Apesar de não ter jogado no meio de semana, o time tricolor entrará em campo neste domingo com uma equipe mista. Pendurados, o zagueiro Gum e o volante Pierre nem vieram a Manaus. Eles serão preservados para não correr o risco de perderem as semifinais. Já o lateral-direito Jonathan, o volante Cícero e o meia Gustavo Scarpa serão poupados por conta de desgaste muscular. Dessa forma, a equipe deve iniciar a partida diante do Vasco com Diego Cavalieri; Wellington Silva, Marlon, Henrique e Giovanni; Edson, Douglas, Marcos Junior, Gerson e Osvaldo; Fred.

Torcida fará festa nas arquibancadas

Ainda à espera da liberação do pó de arroz por parte da Polícia Militar, a torcida Young Flu Manaus, maior organizada do clube na cidade, promete uma grande festa nas arquibancadas. A concentração vai começar na sede da própria uniformizada, localizada no bairro de Aparecida, a partir das 10h. De lá, os torcedores partem para a Arena da Amazônia Vivaldo Lima.

“A gente vai sair de nossa sede com três ônibus para o estádio. Iremos até a rodoviária e de lá nós caminharemos para a arena, com escolta, já que está sendo feito toda um esquema de segurança para as torcidas organizadas dos dois clubes. Ainda estamos esperando a liberação do pó de arroz para fazer uma festa bem bonita. Teremos 10 mil balões com as cores do clube na arquibancada”, revela o presidente da Young Flu Manaus, Fernando Borges.

A última vez que o torcedor pôde ver o Fluminense em Manaus foi em 1999. Na ocasião, o time carioca atravessava a pior fase de sua história e encarou o São Raimundo pelo quadrangular final da Série C do Campeonato Brasileiro. Com 10 anos, Fernando diz que não lembra muita coisa daquela partida, mas destaca o atacante Magno Alves, que jogou aquela partida e ainda hoje atua no tricolor.

“A gente sabe que a torcida do Vasco é maior, mas acredito que a torcida do Fluminense é grande também. Vemos por aí mais pessoas na rua com camisa do tricolor, então, pela movimentação, temos certeza que vamos conseguir equilibrar (número de torcedores), talvez um pouco menos, mas vamos com bastante pessoas”, aposta o presidente da organizada tricolor.

Manaus é ‘casa’ cruz-maltina

Invicto há 20 jogos, o Vasco entra em campo precisando de uma vitória para conquistar o título da Taça Guanabara. Diante do Fluminense, o Cruz-Maltino pretende confirmar que Manaus é sua principal casa fora do Rio de Janeiro. Segundo colocado com 14 pontos, o Vasco sabe que precisa melhorar o desempenho para superar o rival na Arena da Amazônia, e para essa missão, os jogadores terão uma ajuda extra durante a partida: a fanática torcida.

Recepcionada por mais de 500 torcedores em sua chegada à capital amazonense, a delegação do clube admite que sentiu uma motivação extra para a final. Em entrevista coletiva dada nas dependências do campo do 3B, localizado na avenida Leonardo Malcher, Centro, Zona Sul de Manaus, o presidente do Vasco, Eurico Miranda, afirmou que a partida decisiva de logo mais só está acontecendo fora do Rio, porque a cidade escolhida foi Manaus.

“Antes de me perguntarem, só quero dizer que estou dando essa coletiva porque preciso agradecer aos torcedores vascaínos do Amazonas pelo apoio e carinho com que receberam o Vasco. Sabemos que, historicamente, a torcida do Vasco é muito grande no Norte. Se as pesquisas fossem sérias, tenho certeza que apontariam que é a maior da região. Disse que não jogaria fora do Rio, mas só aceitei porque seria em Manaus. Estamos em casa”, afirmou.

Outro que elogiou o apoio recebido foi o técnico Jorginho. Para o comandante, saber que o clube terá a maioria da torcida na arena é importante, porém, isso de nada valerá se a equipe não conseguir mostrar um bom futebol dentro de campo.

“Temos a maior satisfação de ter sido recebidos da forma que fomos no aeroporto. Sabemos que a equipe do Vasco é muito grande aqui. É muito importante o torcedor apoiar, mas os jogadores e eu, treinador, tenho a responsabilidade de comandar a equipe e conquistar essa primeira fase. Por mais que eles se esforcem nas arquibancadas, nós que entramos em campo. É muito importante os jogadores retribuírem o carinho que receberam com muita vontade e uma vitória, pois assim todos vamos sair felizes”, completou Jorginho.

Durante os treinamentos realizados em solo manauense, o treinador apenas trabalhou a movimentação da equipe e intensificou as finalizações. Para o duelo decisivo, Jorginho tem apenas uma dúvida. A primeira e mais grave é na lateral–esquerda. Júlio César pouco participou do trabalho realizado na última sexta-feira (15). Jorginho confirmou que o atleta será avaliado até minutos antes da partida. Caso não tenha condições, ele pode improvisar Rafael Vaz ou colocar Henrique como titular. Com isso, o time que deve entrar em campo é: Martin Silva, Madson, Luan, Rodrigo e Júlio Cesar; Marcelo Mattos, Júlio dos Santos, Andrezinho e Nenê; Jorge Henrique e Riascos.

 

Por André Tobias e Thiago Fernando

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir