Política

Ciro Gomes diz que Hissa deu “passo em falso” em voto contra Dilma, mas PDT aposta no deputado

Ainda durante a entrevista, Ciro disse ser ligado às questões da Amazônia - foto: divulgação

Ainda durante a entrevista, Ciro disse ser ligado às questões da Amazônia – foto: divulgação

Ciro Gomes, vice-presidente nacional do Partido Democrático Trabalhista (PDT), em entrevista à uma rádio local na manhã desta quinta-feira (14), declarou que o pré-candidato à prefeitura de Manaus, Hissa Abrahão, “deu um passo falso com o voto contrário ao partido”, no dia em que a Câmara dos Deputados, em maioria, decidiu pelo afastamento temporário da presidente Dilma Rousseff (PT).

“Hissa deu um passo em falso com o voto contra a do partido. Mas ele teve a humildade em alegar, na sua defesa, que tinha acabado de entrar no partido e vinha de um outro favorável ao impeachment e que  já tinha se manifestado. Assim, compreendemos que  tinham algumas razões compreensíveis e respeitáveis”, disse Gomes, completando que o pré-candidato é “um companheiro que o PDT escolheu apostar as fichas para o futuro”.

Ainda durante a entrevista, Ciro disse ser ligado às questões da Amazônia. “Isso aqui, para mim, é a garantia de que nossos filhos e netos terão um país extremamente cobiçado pelo mundo”, disse.

Ele também destacou a relevância que o partido tem na capital amazonense, citando o nome do senador Jefferson Péres, que faleceu em 2008, vítima de um enfarto. “Aqui, há uma transição vigente. Desde a época do Amazonino até esta turma mais nova, que vem chegando, é representada por Hissa. O PDT tem tradição e é respeitado aqui”, declarou.

Novo presidente da Câmara

Sobre a nova presidência da Câmara, assumida na madrugada desta quinta pelo Rodrigo Maia, do Democratas (DEM-RJ), Ciro declarou que o deputado federal representa um “sopro de respeito ao povo”.

“Não era mais possível a Câmara Federal passar sinais repetidos de comprometimento com uma maioria de corruptos. Todo sistema prevê a minoria ser corrupta porque tem ferramentas para tratar essa quantidade. Aqui no Brasil, chegamos ao limite porque  Eduardo Cunha, maior ‘picareta’ que já conheci na vida, apodreceu a maioria que lá estão, fazendo a Câmara perder completamente a respeitabilidade do povo”, falou o vice-presidente do PDT.

Por equipe EM TEMPO online

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir