Sem categoria

Chuva rápida alaga vias e residências nas Zonas Oeste e Centro-Oeste da capital

Foto-Poste

foto: divulgação/ Manaustrans

Uma forte chuva que caiu sobre a cidade, no final da manhã desta quarta-feira (11), e durou, em média 30 minutos, causou estragos em Manaus.  A maior concentração   foi em parte da Zona Oeste, principalmente no bairro Compensa, onde    foi registrada queda de 27,8 milímetros de chuva, causando inundações de casas e destelhamentos.

A Informação foi repassada pela assessoria de comunicação da Defesa Civil Municipal, que confirmou as ocorrências nas Zonas Oeste e Centro-Oeste, nos bairros do Dom Pedro e Santo Agostinho e Compensa. Ainda de acordo com a Defesa Civil, as ocorrências registradas são referentes à vias e residências inundadas.

No bairro da Compensa, Zona Oeste, a água chegou a cobrir totalmente ruas e calçadas e a ultrapassar o nível da porta de lojas e casas na avenida Brasil. Na rua São João, do mesmo bairro, parte do telhado de uma casa ficou comprometido. Não houve registro de vítimas lesionadas. Outro alagamento ocorreu na rua Tancredo Neves, no bairro Dom Pedro.

Na avenida do Turismo, por volta das 13h13, um poste de iluminação pública foi derrubado, deixando o trânsito congestionado. O incidente também congestionou a avenida coronel Teixeira, Ponta Negra, onde agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) foram acionados para desafogar o fluxo de veículos.

A ocorrência mais grave ocorreu no bairro Santo Agostinho, na rua Projetada 4, onde oito casas ficaram alagadas, mas sem deixar vítimas. Segundo os técnicos da Defesa Civil de Manaus, os bueiros da via ficaram entupidos com o lixo que foi arrastado. A Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp) foi acionada para fazer a limpeza no local. Não houve danos na estrutura dos imóveis.

Em alerta

A Defesa Civil informou, em nota, que permanecerá em alerta com equipes 24 horas por dia atendendo chamados por meio do número de emergência 199. A chuva desta quarta-feira foi prevista pelo Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), que informa diariamente a Defesa Civil sobre previsões climáticas.

Por equipe EM TEMPO Online

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir