Cultura

Chitãozinho e Xororó cantam em japonês para levar ‘Evidências’ ao país

Dupla
Aqui ou do outro lado do mundo, não há quem nunca tenha negado as aparências e disfarçado as evidências para enganar o próprio coração.

“O romantismo é universal”, decreta o sertanejo Xororó. Prova disso é que “Evidências”, hit eternizado na voz dele e do irmão, Chitãozinho, tocou os sentimentos do produtor japonês Hidenori Sakao, um dos diretores do projeto que lançará a música no país, numa versão que mistura os dois idiomas.

A dupla brasileira canta com o trio Begin, de Okinawa, e arrisca algumas (poucas) frases em japonês numa versão ainda inicial do dueto, que está em gravação. A música fará parte de um EP que será lançado neste mês nos dois países.

Mas por que ir até o Japão? Os envolvidos na empreitada citam o Tratado de Amizade, Comércio e Navegação assinado entre os dois países, que em 2015 completa 120 anos.

Por trás, porém, há também a intenção da dupla de se lançar no Oriente -da mesma forma que a banda japonesa quer divulgar seu trabalho no Brasil.

“Sempre foi uma vontade nossa fazer shows no Japão, principalmente porque a comunidade brasileira é muito grande lá”, conta Xororó. Os filhos dele, Sandy e Junior, já se apresentaram no país, assim como outras duplas sertanejas, como Zezé di Camargo e Luciano e Leandro e Leonardo.

O projeto, intitulado “Intercâmbio Musical”, nasceu quando Sakao, ao assistir a um show do Begin no Japão, achou a musicalidade da banda, marcada por instrumentos de corda, parecida com o som regional sertanejo. Entusiasta da música brasileira, ele sentia falta de apresentações de artistas do gênero no país.

“A colônia japonesa no Brasil é concentrada em São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul. Mas a maioria dos artistas brasileiros que já se apresentaram lá são cariocas ou baianos”, diz o produtor.

Além de “Evidências”, o EP tem uma regravação do single “Nada Sou Sou”, da banda japonesa, interpretada em português por Chitãozinho e Xororó. O projeto também inclui um videoclipe, que será lançado em novembro.

Em outro idioma, a dupla brasileira tem participação bem mais tímida que seus parceiros no projeto. O trio canta boa parte das canções em português fluente, mas com sotaque, e um de seus membros, Hitoshi Uechi, até toca acordeon -instrumento muito presente na música sertaneja.

“Parece até sertanejo universitário. Depois do sucesso do Michel Teló, todo o mundo agora toca sanfona, até japonês”, brinca Chitãozinho.

Em São Paulo, Begin se apresenta no sábado (7) e no domingo (8) no Okinawa Festival, evento de cultura japonesa.

 

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir