Economia

Cheques sem fundo batem recorde histórico no país, diz Serasa Experian

O Amazonas foi o quinto Estado com mais cheques devolvidos por falta de fundos, no acumulado de 2016 - foto: divulgação

O Amazonas foi o quinto Estado com mais cheques devolvidos por falta de fundos, no acumulado de 2016 – foto: divulgação

Aparentemente um instrumento quase não mais usado no comércio amazonense como forma de pagamento de compras, os cheques registram no país um recorde histórico de devolução no Estado, no mês de março, por conta da falta de fundos. No acumulado do ano de janeiro a março, conforme dados da Serasa Experian, o Amazonas é o quinto Estado em cheques devolvidos com 7,58%. O ranking do acumulado do ano é liderado pelo Amapá (18,27%), seguindo de Roraima (10%), Maranhão (9,51%) e Acre (8,10%).

O empresário do ramo de roupas Ayman Imwas, proprietário da rede de lojas Ásia Fashion, disse que não aceita cheque há 5 anos. Segundo ele, quem aceita cheque ainda é o atacadista em relações de negócios maiores. “Como, aproximadamente, 97% da nossa rede é comercio varejista, nós aceitamos apenas dinheiro e cartão de crédito, no máximo”, comenta.

A empresária do segmento de objetos de decoração e mobiliário Rozana Trilha, proprietária da Native Original Products, diz que faz tanto tempo que não aceita cheque como forma de pagamento que nem lembra mais como se faz uma consulta para saber se o cheque tem fundo. “Tem tanto tempo, há pelo menos uns 4 anos que nem lembro quais são os caminhos para se fazer as consultas”, aponta.

Apesar dos números da Serasa Experian, o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL-Manaus), Ralph Assayag, considera o volume de transações com cheques no Amazonas muito pequeno em relação aos outros Estados brasileiros. Na sua avaliação, a devolução é quase zero porque o movimento dessa modalidade se dá em quase 100% apenas entre lojistas e fornecedores.

Conforme a pesquisa, no Amazonas, a devolução de cheques em março deste ano foi de 8,25% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 6,74% registrada em fevereiro do mesmo ano. Em março do ano passado, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos no Amazonas havia sido de 5,62% do total de cheques compensados.

Na Região Norte, a devolução de cheques em março/2016 foi de 5,00% do total de cheques compensados, maior que a devolução registrada no mês anterior, fevereiro/2016, quando o percentual foi de 4,41%, e também maior que os 4,33% registrado em março/15. No Pará, a devolução de cheques em março foi menor (7,22%) do total de cheques compensados, maior que a devolução de 6,29% registrada em fevereiro.

De acordo com a Serasa Experian, a proporção de cheques devolvidos por falta de fundos cresceu 2,66% em março, o maior índice registrado desde 1991, na pesquisa feita pela Serasa Experian. Em fevereiro, as devoluções alcançaram 2,27% do total compensado e, em março do ano passado, a taxa foi 2,32%.

Por Emerson Quaresma

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir