Economia

Cheia: olarias do AM pedem agendamento diferenciado de vistorias ao Ipaam

Demanda foi encaminhada pelo Sindicato da Indústria de Olaria do Estado do Amazonas (Sioam) em reunião com a diretora-presidente do Ipaam, Ana Eunice Aleixo, nesta terça (9) – foto: divulgação

Demanda foi encaminhada pelo Sindicato da Indústria de Olaria do Estado do Amazonas (Sioam) em reunião com a diretora-presidente do Ipaam, Ana Eunice Aleixo, nesta terça (9) – foto: divulgação

O polo oleiro do Amazonas pediu, nesta terça (9), que o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) conceda às empresas de Manacapuru, Iranduba e Novo Airão um agendamento diferenciado para vistorias, em virtude da cheia.

A reivindicação foi feita por representantes do Sindicato da Indústria de Olaria do Estado do Amazonas (Sioam) nesta manhã, durante reunião com a diretora-presidente do Ipaam, Ana Eunice Aleixo, na sede do órgão estadual, situada na avenida Mario Ypiranga, bairro Parque Dez, Zona Centro-Sul de Manaus.

“Como desde 2009, as enchentes têm causado grandes prejuízos para nossa categoria, nosso objetivo é solicitar uma situação emergencial no licenciamento das cerâmicas desses três municípios. Toda essa dificuldade que vem com a cheia influencia diretamente na extração da argila para o nosso trabalho”, justificou o presidente do Sindicato, Sandro Santos.

Atualmente, existem 34 olarias na região, que empregam 3.000 pessoas diretamente.

Ana Eunice Aleixo ressaltou a importância do setor para a economia do Amazonas e concordou que deve ser dada maior atenção às licenças dos empreendimentos atingidos pela enchente.

“Essa agilidade aos processos é o que temos buscado e deveremos compatibilizar as nossas ações dentro das peculiaridades das atividades das argileiras por conta dessa sazonalidade da cheia e vazante”, encerrou.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir