Dia a dia

Cheia no Amazonas movimenta rotina de órgãos de defesa civil

 

Nas ruas de Canutama é possível ver o nível de elevação das águas – Divulgação

A Defesa Civil do Amazonas anunciou, nesta terça-feira (18), que o município de Canutama, localizado na Calha do Purus, recebeu o parecer favorável para decreto de Situação de Emergência. Na oportunidade, o órgão também enviou um balanço de operações do órgão em razão do período de cheia neste ano, onde o Estado também observa os municípios da Calha do Juruá na mesma situação, entre eles Guajará, Ipixuna, Eirunepé, Itamarati e Carauari. Ao total, mais de 10.530 famílias foram afetadas nesses locais.

“Após análise de dados do Instituto Nacional de Meteorologia feito pelo Centro de Monitoramento e Alerta da Defesa Civil do Amazonas, observou-se que a concentração de chuvas no último trimestre teve registro de até 1,2 mil milímetros, o que aumentou o volume de água do rio na região e colocou a cidade mais vulnerável para alagamento”, ressaltou o secretário executivo da Defesa Civil do Amazonas, coronel Fernando Pires Júnior.

Os técnicos apontaram que a cheua atinge 60% dos bairros periféricos e ribeirinhos de Canutama, além de comunidades rurais e indígenas. Foram registradas 1.495 famílias afetadas. Também estão em observação 16 municípios das Calhas do Juruá, Solimões, Baixo Amazonas, destacadas com Situação de Alerta; e 18 municípios em Situação de Atenção

Capital

A Defesa Civil de Manaus deu início à construção de pontes nas áreas que serão afetadas pela cheia deste ano. O primeiro local atendido é o Beco Bragança, no bairro de São Jorge, Zona Oeste da capital. A previsão é que 15 bairros de todas as zonas que devem ser afetados pela cheia recebam construções de passarelas, entre eles Tarumã, Mauazinho, São Jorge, Educandos, Raiz, Betânia, Presidente Vargas, entre outros.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir