Mundo

Cerca de 3.000 imigrantes saídos da África desembarcam na costa italiana

Cerca de 3.000 dos quase 6.000 imigrantes que foram interceptados no último fim de semana no mar Mediterrâneo desembarcaram nesta segunda (4) pela manhã na costa da Itália.

Entre eles está um bebê que nasceu durante as operações de interceptação.
Este fluxo sem precedentes de imigrantes forçou os serviços de salvamento marítimo, principalmente da Itália, a redobrarem os seus esforços.

As autoridades europeias esperam que a Líbia, de onde partiu a maior parte desses migrantes, possa intervir de forma eficaz para combater essas imigrações.

Pelo menos 7.000 pessoas que iriam tentar atravessar o Mediterrâneo em direção à Europa foram detidos na Líbia, anunciou nesta segunda-feira um responsável do governo paralelo instalado em Trípoli, capital líbia, tomada em agosto de 2014 pela milícia Líbia Fajr (Aurora Líbia).

O governo líbio reconhecido pela comunidade internacional está instalado em Tubruk, no leste do país.

A maioria desse migrantes, vindos principalmente da África, foram detidos na costa líbia antes de embarcar e foram confinados em 16 centros de detenção na região de Misrata, 200 km a leste de Trípoli.

Nesta segunda, um primeiro grupo de 873 imigrantes, entre eles 103 mulheres e 52 crianças, chegou ao porto de Pozzallo, no sul da ilha da Sicília.

Após a identificação, os imigrantes, principalmente somalis e eritreus, serão transferidos após ser identificados para abrigos espalhados pelo país.

Um segundo grupo, de cerca de 400 pessoas, chegou a Messina, no norte da Sicília, a bordo de um barco da guarda costeira italiana.

Por volta do meio-dia, dois outros navios da Marinha italianos chegaram com cerca de 1.500 imigrantes.

Em sua conta no Twitter, a Marinha italiana anunciou que uma criança nasceu durante as operações de interceptação no navio “Bettica”.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir