Esportes

CBF demonstra interesse em realizar outros jogos da seleção brasileira em Manaus, afirma Fabrício Lima

esquema-de-seguranca-Diego-janatã

Maquete com o esquema de segurança para a partida entre Brasil e Colômbia nesta terça-feira – foto: Diego Janatã

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) demonstrou interesse em realizar outras partidas da seleção brasileira em Manaus. A informação foi dada na manhã desta segunda-feira (5) pelo secretário Estadual de Esporte e Lazer (Sejel), Fabricio Lima, durante coletiva a imprensa, onde os órgãos informaram as ações de segurança para a partida entre Brasil e Colômbia, que será realizada amanhã (6), na Arena da Amazônia.

Segundo o chefe da pasta, a CBF ficou impressionada com o estádio e da forma que os órgãos trabalham de maneira integrada. “A grande novidade é que a CBF sinalizou que poderá ter outros jogos da seleção, aqui na arena. Eles gostaram do carinho do manauara, da forma que nós estamos trabalhando de maneira integrada, do estádio e principalmente do gramado, que foi bastante elogiado. Realmente estão bastante impressionados com tudo que viram”, disse.

Na reunião, ficaram definidos que aproximadamente 1,5 mil homens de 36 órgãos estarão empregados no sistema de segurança do jogo da seleção brasileira contra a Colômbia. Entre as novidades para este jogo, está a implantação da sala do juizado do torcedor que irá acompanhar de perto o cumprimento de todas as regras impostas para essa partida, que vão desde o uso correto do assento marcado até a segurança de campo, para que não ocorram mais as invasões que foram vistas durante o treino no último sábado (3).

De acordo com o juiz do torcedor, Antônio Carlos Marinho, o Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam) está alinhado com todos os órgãos que compõe o esforço para que todas as atividades que serão realizadas amanhã na Arena, sejam as mais positivas possíveis. Se houver a necessidade, o magistrado afirmou que serão aplicadas ainda no estádio as regras do estatuto do torcedor e de outras legislações, nos casos considerados inadequados.

“Quando há um grande evento, o juizado do torcedor é instalado. Nós temos uma comissão que tem como objetivo aplicação do estatuto do torcedor e juizados cíveis e criminais, ou seja, atenderemos aquelas ocorrências que registradas dentro do estádio”, comentou.

O magistrado disse ainda que para casos de invasões, pode ser aplicado o artigo 41 e o torcedor pode ser penalizado com um ou dois anos de detenção ou impedimento de participação em partida de futebol.

“Orientamos que não pratique esse tipo de ato, aqueles que fizerem serão punidos. Também estaremos atentos a possíveis brigas de torcedores, venda de ingressos, uso indevido de assentos e outras condutas inadequadas da parte do torcedor, por exemplo, acesso ao local com uso de produtos não permitidos, que possa trazer risco a segurança de outras pessoas”, ressaltou.

Sobre a restrição de acesso de menores ao estádio, o juiz explicou que existe a portaria 3/2016, baixada recentemente para este jogo, que tem uma regulamentação diferente das aplicadas na Copa e nas Olimpíadas. “Agora é permitido o acesso de crianças menores de 12 anos, desde que acompanhadas de uma pessoa maior de 18 anos que se responsabilize por elas. Acima de 12 anos, o acesso é livre”.

Na ocasião, o secretário executivo adjunto de planejamento e gestão da SSP-AM, Dan Câmara, afirmou que todo o projeto feito para essa partida foi cumprido a contento e que os órgãos não tiveram muitos transtornos na execução das ações. Os contratempos que surgiram foram decorrentes de algumas indefinições do calendário das atividades referentes ao evento, como o treino aberto, que apresentou algumas experiências novas.

“Estamos trabalhando para que o torcedor tenha um ambiente seguro e saudável. São 36 órgãos envolvidos no planejamento e na execução das ações. Nossa principal preocupação é com aqueles que vão à Arena da Amazônia com objetos de uso não permitido. Por isso ressaltamos, não levam arma branca, arma de fogo, material perfurante, porque todos serão fiscalizados. Estamos organizando agora a varredura ao redor do estádio. O sistema de inteligência já está monitorando todo o local. Aquele que ousar fazer uma atitude fora do legal, já sairá da arena com sua sansão definida. Tudo está preparado e nossa meta é que nada saia fora normalidade”.

Energia

Fabricio Lima, disse que além da reunião com os órgãos que compõe o sistema de segurança, houve uma conversa com a Eletrobrás Amazonas Energia, para garantir o pleno funcionamento da rede elétrica durante a partida, uma vez que foi detectado uma queda de 80% do sistema em um bairro próximo ao estádio, no dia do treino.

“Houve queda de energia na região, não afetou a arena, mas teremos o cuidado para que isso não afete o jogo da seleção, pois vamos ter transmissão para outros países e não queremos nenhum tipo de surpresa. Já nos reunimos com a concessionaria e teremos uma equipe de plantão que irá cuidar dos quatro geradores que fornecerá energia para a arena sem comprometer a rede externa”, finalizou.

Por Gerson Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir