Dia a dia

Católicos relembram martírio de Jesus em procissão da Via-Sacra, em Manaus

A procissão saiu da Catedral Nossa Senhora da Conceição, no Centro de Manaus, até o Santuário de Fátima, na Praça 14 de janeiro, Zona Sul 0- foto: Marcio Melo

A procissão saiu da Catedral Nossa Senhora da Conceição, no Centro de Manaus, até o Santuário de Fátima, na Praça 14 de janeiro, Zona Sul 0- foto: Marcio Melo

Na procissão da Via-Sacra, na manhã desta Sexta-Feira Santa, os católicos relembraram as 14 estações do martírio de Jesus Cristo. A procissão saiu da Catedral Nossa Senhora da Conceição, no Centro de Manaus, até o Santuário de Fátima, na Praça 14 de janeiro, Zona Sul. A Arquidiocese de Manaus estimou em 30 mil o número de fiéis.

O arcebispo de Manaus, Dom Sérgio Castriani, destacou que a data representa a paixão e morte de Cristo.

“Nós da igreja católico relembramos nesta Sexta-Feira Santa, os últimos passos de Jesus aqui na terra. São 14 estações, que simbolizam a condenação, a cruz nos ombros, a queda de Cristo durante o caminho, o encontro com sua mãe, a ajuda de Cirineu com a cruz, o gesto de amor de Verônica ao enxugar seu rosto, o consolo das mulheres piedosas, a exposição do corpo de Jesus, a pregação Dele na cruz, a morte, a entrega do corpo para a mãe e o sepultamento. Revivemos tudo isso em forma d e oração, sabendo que tudo isso foi feito por amor a nós”, disse.

Como forma de gratidão, tradicionalmente a enfermeira, Síria Alves, 65 acompanha o ritual desde os primeiros meses de vida, ainda nos braços da mãe. A fé depositada em Cristo Jesus e a fidelidade do seu amor trouxeram para sua família diversas bênçãos, afirma Síria. “Enquanto vida eu tiver e poder caminhar eu estarei aqui, com toda certeza. Sou devota, grato por todo amor de Cristo para comigo e para com meus. Sempre coloco em primeiro lugar, o meu Senhor. E hoje vivo, mesmo que simbolicamente os seus passos antes da crucificação, para confirmar esse amor”, declarou.

O compromisso com a igreja nas Sextas-Feiras Santas também é honrado rigorosamente pela família Oliveira, como disse Rosângela. Pai, mãe e filha estiveram reunidos na manhã de ontem, para acompanhar o trajeto e agradecer. “Esta é a hora de expressarmos a nossa fé, o nosso agradecimento por tudo que Jesus Cristo fez e faz até hoje por nós. Eu sempre digo, que a família que reza unida, permanece unida. Então é uma vontade comum da minha família de participar sempre da Via-Sacra, de estarmos unidos hoje em oração, vivendo este momento de fé”, frisou.

Por Gerson Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir