Sem categoria

Catadores e MPT realizam ato público comemorativo ao Dia Mundial da Reciclagem

O evento foi promovido no largo São Sebastião, no Centro, na manhã deste domingo - foto Ione Moreno

O evento foi promovido no largo São Sebastião, no Centro, na manhã deste domingo – foto Ione Moreno

O Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR) realizou, em parceria com o Ministério Público do Trabalho no Amazonas (MPT 11ª Região), na manhã deste domingo (17) diversas ações e um ato público comemorativo ao Dia Mundial da Reciclagem.

O evento foi promovido no largo São Sebastião, no Centro, e contou com a presença da procuradora-chefe do MPT, Alzira Costa, dos membros do MNCR, do CECMR e dos catadores de recicláveis, além de figuras como o secretário municipal de Limpeza Pública, Paulo Farias, o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Itamar Mar, o vereador Waldemir José (PT) e o ex-deputado estadual Marcelo Ramos.

Para a coordenadora do Comitê Estadual dos Catadores de Materiais Recicláveis, Irineide Lima, é preciso que a sociedade ouça e conheça a importância da reciclagem e a importância do papel do catador nesse processo. “Hoje em dia, ainda é muito pouco o investimento em coleta seletiva e em reciclagem, pois entendemos que se não houver investimento, os rios são mais poluídos e igarapés, se conseguirmos, de fato, mais recursos, não veremos mais tanta sujeira, portanto o trabalho do catador é de suma importância, pois vem para minimizar esse impacto sobre o meio ambiente”, disse.

Irineide falou também sobre os trabalhos do catador que atua nos lixões a céu aberto espalhado pelo Estado, invisível aos olhos da sociedade. “A sociedade ainda não nos enxerga, apesar de sermos de fato prestadores de um serviço de extrema importância. Nós estamos limpando as ruas e retirando o lixo, gerando emprego e renda, dando sustentabilidade às nossas famílias. Somos hoje vinculados ao movimento nacional – cerca de 400 catadores -, estamos realizando um grande diagnóstico para levantar essa estatística, pois ainda encontramos muitos catadores autônomos”, frisou a coordenadora.

Alzira Costa, procuradora-chefe do MPT, afirmou que o papel do Ministério Público do Trabalho, na questão da conscientização popular, é muito importante e consiste num trabalho promocional por meio da articulação feita pela entidade com todos os órgãos responsáveis pela prestação de um serviço público, a fim de torná-lo sempre mais eficiente.

“O que pretendemos é que os catadores sejam contratados pela Prefeitura de Manaus para prestar o serviço de coleta seletiva, à semelhança com o que já ocorre hoje no serviço de coleta domiciliar. A questão é que para que eles possam ter a capacidade de ser contratados pelo município, é necessária uma prévia encubação dos empreendimentos econômicos solidários, um fortalecimento desses empreendimentos, para que eles consigam adquirir a capacidade técnica de prestar esse serviço”, ressaltou.

Alzira destacou ainda a necessidade de que a cidade de Manaus, por meio da conscientização, possa proporcionar uma demanda suficiente que supra as demandas dos empreendimentos voltados à coleta seletiva e à reciclagem.

Por Helton de lima (equipe Jornal EM TEMPO)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir